Geral

Humorista e maquiadora de PG fala sobre sua polêmica com o Facebook

Natural de Ponta Grossa, Day Lima resolveu juntar duas de suas grandes paixões, humor e maquiagem, em um só vídeo, que acabou resultando na personagem ‘Creide’. O material viralizou e hoje soma mais de 40 milhões de visualizações no Facebook. Foi nesta rede social que ela desenvolveu seu trabalho e alcançou 1 milhão de seguidores, com lives semanais e posts diários.

No entanto, no dia 20 de dezembro (uma quinta-feira) a página foi bloqueada e, no dia seguinte (sexta), saiu do ar sem explicações e fez com que a humorista movesse um processo contra a plataforma. Depois do caso passar pela justiça, Day conseguiu a reativação da página no dia 10 de janeiro, mas conta que ainda tem recebido relatos de problemas no acesso dos usuários.

O DC conversou com ela, que é empreendedora digital, para saber com detalhes como ocorreu a desativação, o retorno da página e também a repercussão do caso, que foi muito comentado e lamentado pelos fãs da personagem ‘Creide’. Confira!

 

Diário dos Campos - Como como tudo aconteceu? Quando você se deu conta de que a página tinha sido desativada, qual foi o primeiro feedback do Facebook sobre isso e quais foram as primeiras providências que você tomou?

Day Lima - A página saiu do ar durante uma live que eu estava fazendo em uma empresa que é minha parceira em Ponta Grossa. Fiquei apenas 1 minuto no ar e a live simplesmente travou, então veio a mensagem de que minha página havia sido bloqueada e que se eu quisesse poderia fazer uma apelação. E essa foi uma das primeiras coisas que fizemos (eu e as outras duas administradoras da página). Fizemos a apelação dizendo que estávamos dentro da política do Facebook.

Na quinta-feira eu e as outras administradoras ainda conseguíamos acessar a página, só os seguidores que não. Na sexta-feira de manhã a página saiu completamente do ar, nem nós administradoras nem os seguidores conseguiam acessar, e aí acabou ficando ainda mais difícil ter uma resposta sobre o que tinha acontecido.

Antes, da quinta para a sexta tínhamos mandado um e-mail - eu fazia parte de um grupo de apoiadores, que é um grupo seleto de pessoas que buscam apoio financeiro dentro do Facebook, para que as pessoas paguem por um conteúdo diferenciado e ajudem os influenciadores - fazendo parte desse grupo tenho acesso a um e-mail direto de pessoas que trabalham dentro do Facebook. Mandamos e-mail e também não responderam. Conseguimos mais alguns contatos de pessoas que trabalham no Facebook, mas nenhum nos respondeu, até hoje, inclusive. E aí passamos a mandar denuncias através de nossas páginas pessoais, mas também não tivemos nenhum retorno.

DC – Como foi o apoio judicial no caso? Você acha que as pessoas que trabalham com internet já estão bem amparadas pela justiça?

D.L. – A ajuda judicial veio porque uma ‘Creidoca’ que mora em Curitiba me mandou o print de uma matéria de um jornalista chamado Hugo, de Curitiba, que é dono da página E Agora Força Brasil que foi derrubada em setembro. Houve ainda outro caso, em que 10 páginas foram derrubadas.

A advogada Ana Cecília Parodi pegou o caso do Hugo e entrou com um processo e a juíza expediu uma notificação dizendo que eles teriam que devolver a página sujeito a multa, mas até agora não devolveram a página dele. Sabendo desse caso entrei em contato com a advogada Ana e ela imediatamente se prontificou a pegar meu caso. Na segunda-feira seguinte fui para Curitiba e já passei todos os detalhes para ela, com provas e vários prints - tudo que acontecia já fazia o print.

Acho que esse amparo judicial é coisa muito nova para quem trabalha como influenciador digital, eu sou empreendedora digital, tenho uma empresa e presto serviço para outras empresas e também invisto dentro da plataforma, visto que a gente tem que pagar para impulsionar, então a gente ainda é mal amparado no país.

 

DC – Em relação aos fãs e toda a repercussão do caso, de alguma forma serviu para você perceber como é a resposta do público, o carinho pelo seu trabalho e que realmente gostam do conteúdo que você produz?

D.L. – Eu confesso que chorei muito por todo o carinho que recebi. Chorei muito de gratidão. Nesse momento de dificuldade acho que Deus me deu a oportunidade de entender que estou no caminho certo. É claro que a gente tem que se aprimorar sempre, mas vejo que meu trabalho não é só um trabalho comercial, é um trabalho social, com o qual consigo acrescentar na vida de muitas seguidoras. Recebi muitos depoimentos, para o processo, pedi que quem tivesse vontade fizesse um depoimento sobre como meu trabalho influencia na vida das pessoas e recebemos cerca de 150 respostas voluntárias e muito emocionadas que pudemos anexar no processo. Além de muitas mensagens ‘inbox’ de pessoas que estavam muito preocupadas. Então, isso tudo me ajudou enquanto eu estava passando por algo que estava deixando meu coração muito aflito – porque toda minha história como ‘Creide’ está dentro do Facebook. Hoje a plataforma não dá mais o alcance que dava no começo de 2007 quando comecei, mas é lá que está minha história, meu vídeo viral com mais de 40 milhões de visualizações e isso não poderia ser jogado no lixo dessa forma. Essa dificuldade me mostrou que estou no caminho certo e que não poderia desistir de forma alguma. Existe uma troca muito bacana entre mim e as seguidoras.

 

DC – Depois de tudo que aconteceu você pretende fazer alguma mudança? Tem vontade de diminuir a produção de conteúdo através do Facebook e migrar mais para outra plataforma?

D.L – A gente já visualizava a necessidade de ir para o Youtube, coisa que eu estava muito resistente porque quando comecei na internet eu queria ser Facebooker, tanto é que minha frustração foi tão grande por isso, pois se eu não ligasse tanto para o Facebook teria largado de vez e ido para outra plataforma, continuado apenas no meu Instagram que tem um bom envolvimento e está tudo certo. Mas o meu sonho era ser Facebooker porque lá está o nicho de mulheres com que trabalho. Elas estão ainda migrando para o Instagram. E eu estava ali junto com elas sendo referência para uma parte desse grupo que não estava sendo representada por nenhum influenciador digital. Eu não quero deixar de produzir para o Facebook, mas ele tem que cooperar. Se não cooperar, como vou entregar um conteúdo de qualidade? Na última quarta-feira (16) fiz minha primeira live depois que minha página voltou e o Facebook estava bloqueando as pessoas para assistir a live, para algumas caía, outras nem encontravam, então uma plataforma com 2 bilhões de usuários desse jeito, que a gente não consegue trabalhar dentro. Então sim, vou migrar para outras plataformas, mas ainda vou manter o mesmo conteúdo dentro do Facebook, pois quero tentar mais um pouco lá dentro. Independente de tudo o que aconteceu eu ainda sou apaixonada por esta plataforma, acho que é um acesso muito simples e direto, as pessoas sabem mexer e meu maior publico está ali, mas se eu perceber que realmente não tem como trabalhar, que eles estão dificultando, eu vou ter que investir energia com outras plataformas: Youtube e Instagram.

 

DC – Por fim, o trabalho continua e quais são seus planos para este ano? Já tem alguma novidade, algum projeto em mente?

D.L. – Esse ano inicia com uma mudança radical na minha vida, em março nasce minha terceira filha, então demos uma brecada nos trabalhos. Estou fazendo algumas coisas, mas bem mais em casa, não estou mais viajando com meu show. Depois de julho a gente já quer voltar com força total. Tenho um projeto de stand up comedy motivacional, workshop de automaquiagem, aulão de maquiagem e mais um projeto novo que é o ‘Show da Creide - tarja preta, seu remédio para a depressão’, que é um stand up para a família falando do mundo feminino, mas direcionado para aquele homem que não consegue entender esse universo. Também temos projeto para começar um curso online, mas creio que ficará mais para o final do ano. Eu sou uma pessoa extremamente criativa, tenho muitas ideias, mas quero ver se terei tempo e dinheiro para concretizar tudo. 2019 vai ser pequeno, mas com certeza um ano maravilhoso.

 

Confira o vídeo de agradecimento aos fãs feito pela humorista: