Geral

A experiência de ser pai

Waldemir curte renovação da paternidade (Foto: Fábio Matavelli)

Há quem diga que o carinho de pai é aquele que melhor exemplifica o próprio significado da palavra amor. Porque você não está se apaixonando por alguém que já existia e surgiu diante de seus olhos, mas ama instantaneamente uma pessoa antes mesmo de ela ter nascido, e com um sentimento que se mantém, ou aumenta, com o passar dos anos. Essa é uma das percepções de quem já viveu a experiência, mas o fato é que a sensação sofre mudanças de pessoa para pessoa e, às vezes, na mesma pessoa em diferentes idades.

É o caso de Waldemir Teodoro Medeiros, que ainda comemora a alegria de ter sido pai novamente aos 59 anos. A pequena Laura veio em um contexto totalmente diferente de quando ele teve o primeiro filho. "Eu tinha 29 anos e uma preocupação grande. Você é responsável por uma vida. Além disso, parecia ser uma emoção passageira", comenta, recordando que lhe escapava o sentido de ser pai. Depois veio o Matheus, hoje com 17 anos. Quando a Laura nasceu, ser pai já não assustava, e tinha um novo significado. "Chegar em casa depois do serviço, e encontrar uma coisinha linda dessas esperando em casa... Com 60 anos eu sei aproveitar melhor o momento. A gente adquire experiência de vida e, com isso, dá mais atenção para a criança, brinca junto, participa mais", diz. A esposa, Tatiane Aparecida Viana, percebe as consequências dessa dedicação, na prática. "A gente carrega a criança nove meses na barriga, mas ela é mesmo apegada ao pai. É tudo o papai", comenta, analisando que isso tem muito a ver com o fato de Waldemir ajudar nas tarefas diárias da criação da Laura, que inspira cuidados constantes diante de seu um ano e nove meses de vida.

 

Ensinamentos

Filho do meio, Matheus de Jesus Viana Medeiros percebe essa mudança, mas não parece sentir que perdeu algo tendo nascido mais de 16 anos antes de sua irmãzinha, que já é tia. “Eu estudo e trabalho, e o valor disso foi meu pai que ensinou. Tenho orgulho de dizer, por exemplo, que ele trabalha há 32 anos na mesma empresa”, comenta, sobre uma dedicação profissional que garantiu a criação de três filhos.

 

A experiência faz um pai melhor

A psicóloga e terapeuta emocional Maria Helena Campos representa uma empresa voltada para os ensinamentos na área de inteligência emocional, e explica que é nítida a mudança no perfil dos pais conforme suas idades. “Na verdade, quanto mais idade o pai tem, mais maduro está e mais aprende com a relação pai e filho. Quando ele tem pouca idade, não tem maturidade para entender o outro e é maior a preocupação de aprender a lidar com tudo isso. Com mais idade, ele percebe as responsabilidades, mas aproveita melhor o outro lado, porque sente a necessidade de maior contato com os filhos”, diz.