Economia

Indústria do Paraná fecha 2019 com crescimento de empregos, diz Fiep

Setor recuperou perdas acumuladas em 2018 e abriu mais de 1.100 novas vagas
(Foto: Gelson Bampi/Divulgação)

A indústria de transformação do Paraná fechou 2019 com saldo positivo na oferta de empregos. De acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta sexta-feira, foram criados 1.462 novos postos de trabalho no estado. O resultado condiz com a representatividade do setor em nível nacional. No Brasil, a mesma indústria teve saldo positivo, com abertura de 18,3 mil novas vagas. O Paraná representa atualmente 8% da indústria nacional.

A indústria da construção civil também teve bom desempenho, com criação de 6.036 novos empregos, contra 2.301 registrados durante todo o ano de 2018, gerando um crescimento de 162%. No Brasil, o setor também performou bem, com 71,1 mil novas contratações.

No comparativo geral, que inclui todos os setores da economia, o Paraná teve saldo positivo de empregos, com abertura de 51.441 novas vagas, alta de 28% em relação ao ano anterior. O setor que puxou o crescimento foi o de serviços, com 32.311 vagas, seguido por comércio (13.610), construção civil e indústria de transformação.

"O resultado da indústria reforça o resultado que vinha ocorrendo ao longo do ano, com o crescimento da produção industrial do Paraná sendo a maior do país, em 5,4% até novembro, enquanto a nacional registrou retração de 1,1% no mesmo período. Se avaliarmos o resultado da indústria em dezembro, que tem um movimento sazonal de dispensas, o que é comum no mês, vemos que foi o melhor dezembro desde 2006. Este resultado contribuiu para o fechamento do saldo positivo da indústria no ano passado", comenta o economista da Fiep, Evânio Felippe.

Setores e municípios

Os segmentos da indústria de transformação que mais contribuíram para o resultado positivo do ano foram indústria mecânica, com oferta de 1.811 novas vagas; alimentos, com 1.448; e metalúrgico, 1.085. Já os setores que tiveram fechamento de postos de trabalho em 2019 foram da madeira e mobiliário, com -2.289; têxtil e artigos do vestuário, com -1.271; e borracha, -401.

De forma geral, avaliando os empregos criados em todos os setores, Curitiba registrou maior oferta em 2019, com 19,3 mil oportunidades. Maringá ficou em segundo, com 3.781; São José dos Pinhais, 3.158; Cascavel, 2.265; e Pato Branco, com 2.159 novas vagas.

De acordo com Felippe, a expectativa para este ano é positiva, porém, está atrelada ao crescimento da atividade econômica. E isso depende das medidas que serão adotadas pelo governo federal para estimular o setor produtivo. "Se o governo mantiver a política de priorizar a aprovação das reformas tributária e administrativa, fomentar as privatizações, que pressupõem investimentos em infraestrutura, tudo isso contribui para uma melhora no ambiente de negócios e aumento da confiança dos empresários. E uma das consequências é aumento da competitividade e aquecimento no mercado de trabalho, com maior oferta de empregos", resume.

Qualificação

Um ponto de alerta é a escassez de mão de obra qualificada. "Quando o mercado de trabalho tende a crescer e há aumento da oferta de empregos, é preciso que o trabalhador esteja preparado para aproveitar as oportunidades com maior valor agregado e melhor remuneração", aponta.

O ideal é que o trabalhador se antecipe e busque capacitação, treinamentos e cursos em sua área de atuação. "O setor de tecnologia de informação é um dos que têm maior demanda por mão de obra qualificada e oferece boas chances de carreira em todo o país, inclusive no Paraná", alerta. Setores como alimentos e automotivo também são atrativos para profissionais da indústria com formação específica.