PG 191 anos

Iniciativa privada estuda aeroporto de cargas para PG

Empresários de fora de Ponta Grossa estão de olho numa área na divisa entre Ponta Grossa e Palmeira para construir um aeroporto de cargas. O presidente da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (Acipg), Nilton Fior, explica que se trata de um projeto ousado, pois o aeroporto deverá ser o maior da América Latina.

Ele conta que os empresários compraram grandes áreas nas proximidades do rio Caniú para realizar o empreendimento particular. “A proposta é audaciosa e esperamos que se concretize”, afirma. No entanto, um produtor rural que teria comercializado parte do terreno não confirmou a informação. Preferiu manter sigilo sobre a suposta venda do terreno e não passou detalhes sobre a possível transação.

A reportagem do DC procurou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que precisaria de dados mais precisos sobre a localização exata das áreas que deverão receber o aeroporto (coordenadas) para confirmar a informação. O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) também foi procurado e disse que não há nenhum processo no sentido de avaliar áreas para receber um terminal aéreo de cargas em Ponta Grossa.

Algumas lideranças defendem a implantação de um aeroporto de cargas no município. “Para a cidade estar bem servida, mais que um terminal de passageiros, é preciso também um aeroporto de cargas”, afirma o presidente da Concessionária Rodonorte, José Alberto Moita. “Logisticamente, o município tem como atrair ainda mais investimentos, pois existe facilidade na entrada e saída através de vários modais”, completa.

O prefeito Marcelo Rangel (PPS) não comentou a construção de aeroporto de cargas público para a cidade.

Sant’Ana

Em contrapartida, existe uma expectativa de que o Aeroporto Comandante Antônio Amilton Beraldo (Sant’Ana) receba voos comerciais a partir de 2015, por meio da Azul Linhas Aéreas. No entanto, em resposta ao DC, a empresa não confirma a informação. “Ainda não existe nada definido por parte da companhia. A Azul está sempre estudando novos mercados, mas, por enquanto, não há nada definido para iniciar nossas operações em Ponta Grossa”, diz a nota enviada pela assessoria de comunicação.

O aeroporto está passando por obras que somam R$ 1,5 milhão numa parceria entre os governos municipal e estadual. O projeto inclui reforma do terminal de passageiros, ampliação da pista e balizamento noturno. Os reparos começaram no início do ano e devem permitir que o aeroporto volte a receber voos comerciais, com aeronaves de pequeno e médio porte.

No fim de julho, o governo federal publicou a medida provisória 652, que cria o Programa de Desenvolvimento da Aviação Regional (PDAR). A medida prevê subsídios por parte do governo federal para pagar custos das companhias aéreas com voos regionais regulares de passageiros.

Além do PDAR, o Sant’Ana também está incluso no Programa de Investimentos em Logística, que prevê investimentos em reformas e ampliações nos aeroportos regionais. A obra em Ponta Grossa prevê adequação de pista, construção do terminal e compra de equipamentos e está orçada em R$ 40 milhões.

Iniciativa privada estuda aeroporto de cargas para PG. Foto: Rodrigo Covolan