Find!

Interação com os pais é essencial no desenvolvimento das crianças

Mesmo com a correria diária, é necessário promover momentos em família

Os pais ou cuidadores de uma criança são sua referência no mundo, o que faz com que seja importante construir uma relação próxima. De acordo com a psicóloga e especialista em neuropsicologia, Lilian Gomes, pais atentos e presentes transmitem valores, princípios, limites e educam. “Subentende-se relações de afetividade, carinho, apoio e amor. Mesmo que eles trabalhem fora, o importante é a qualidade da relação. O diálogo franco e aberto, desde a infância, dará base e sustentação para o estabelecimento da segurança dos filhos, sem ter na figura dos pais, aqueles que só sabem cobrar ou criticar ou ainda que representem medo”, destaca a profissional.

Em alguns momentos, a correria diária e a rotina, tanto dos pais, quanto dos filhos, podem dificultar a realização de atividades em comum. Por isso, a psicóloga dá dicas para tornar a relação próxima mesmo com os afazeres de cada um. “Acompanhar a vida escolar, conhecer a filosofia da escola em que seus filhos estão estudando, realizar refeições juntos (pelo menos uma com a família reunida), ter um lugar adequado para que eles possam estudar sem estímulos externos como TV, tablet ou celular que desviem a atenção (a não ser que esses instrumentos sejam objeto para pesquisa escolar)”, pontua.

 

Lilian ressalta ainda que, para que as crianças não se sintam deixadas de lado, é importante explicar o porquê de os filhos ficarem às vezes na casa dos avós, tios ou nas colônias de férias. “Dessa forma os filhos sentem segurança e sabem que os pais vão voltar. Também é necessário estabelecer momentos de brincadeiras, de atenção exclusiva para eles. Não apenas a presença física, pois, muitas vezes, estão juntos, mas não perto, já que o ‘mundo virtual’ nos convoca a todo tempo: a nós e às crianças também”, finaliza.

 

Psicóloga sugere atividades entre pais e filhos:

Sair para conhecer novos lugares, como museus, praças, pontos turísticos;

Realizar brincadeiras em conjunto;

Trazer amigos(as) dos filhos(as) para brincar em casa;

Confeccionar brinquedos diferentes, com sucatas, material recicláveis;

Realizar leituras em conjunto e comentar acerca da leitura;

Quando ainda não alfabetizados, contar histórias, brincar respeitando a idade da criança;

Introduzir as crianças nas atividades da família, como: arrumar seu quarto, lavar uma louça, dobrar suas roupas, fazer a comida. Isso sempre respeitando a idade dos filhos;

“Filhos gostam de ajudar, a atividade pode se tornar lúdica e aproximar pais e filhos”. (Lilian Gomes)