Cidades

Irati deve criar heliponto para atendimento do Samu

Poucos hospitais da região possuem heliponto (Foto: Arquivo DC)

O município de Irati, reconhecendo a importância do trabalho realizado pelas equipes de trasporte aeromédico do Samu, deve instalar um heliponto ao lado do Hospital Santa Casa da cidade. A informação foi confirmada com exclusividade ao Diário dos Campos, nessa quarta-feira (8), pelo diretor técnico do hospital e provedor da Santa Casa, Ladislao Obrzut Neto.

Segundo ele, as reuniões para viabilizar a criação do heliponto vêm acontecendo há cerca de três meses, e o serviço aeromédico já sinalizou positivamente para que a ideia saia do papel. “A iniciativa partiu da Santa Casa. Entendemos essa como uma demanda importante, porque a distância entre o espaço de pouso do helicóptero,em campo de futebol, e o hospital é de aproximadamente um quilômetro. Em breve teremos o heliponto colado à Santa Casa”, comentou Obrzut Neto.

Ele acrescenta que a prefeitura está em negociação com a companhia de energia elétrica para a retirada da rede de alta tensão no trecho e que, uma vez superado esse aspecto técnico, o município deve criar a estrutura para pousos e decolagens e um terreno doado pelo hospital.

Rafael Brandão, diretor clínico do Samu em Ponta Grossa, explicou que a proposta é pertinente, porque facilita e dá agilidade ao transporte do paciente entre o helicóptero e o hospital. “A criação [do heliponto] vai facilitar do ponto de vista operacional, porque reduz em um quilômetro a distância a ser percorrida por terra para conduzir o paciente”, diz.

O comandante da aeronave do Samu, major Júlio César Pucci, lembra que a medida demonstra como os municípios da região percebem a importância do serviço, oferecido desde março deste ano com uma base em Ponta Grossa. “A demanda na região de Irati é muito grande. Por isso passamos toda a documentação necessária e as orientações técnicas, verificando essa possibilidade real de instalação”, comentou.

 

Ocorrências

Levantamento da Prefeitura de Ponta Grossa aponta que, desde sua inauguração, em março deste ano, mais de 82 ocorrências foram realizadas pelas equipes do Samu, através da base área dos Campos Gerais, instalada no aeroporto Santana. O trabalho aeromédico é uma iniciativa do Governo do Estado e já tem cinco bases no Paraná: Curitiba, Cascavel, Londrina, Maringá e Ponta Grossa, que cobrem 100% do território paranaense.

Negociações

O prefeito de Irati, Jorge Derbli, diz que atuou diretamente nas negociações com a Santa Casa. “Neste momento, o serviço está sendo realizado, de forma provisória, no Estádio Coronel Emílio Gomes. E, para agilizar e facilitar o atendimento aos pacientes que necessitam deste transporte do Samu, foi encontrada uma área dentro do espaço da Santa Casa em que é possível construir o heliponto”, disse. Segundo ele, após concluído o deslocamento da rede elétrica, o município fará a construção do piso e das telas de proteção em um prazo de 20 dias.

Menos mortes

Segundo dados do Governo do Estado desde 2014, quando o serviço foi reorganizado no Paraná, as mortes por infartos e acidentes caíram 25%. Com o serviço ativo, o tempo de resgaste em chamados de urgência e emergência, e também de transporte de pacientes de um hospital para outro, é quatro vezes menor que os feitos em terra. As equipes são formadas por 10 médicos e cinco enfermeiros em cada base.