Farm Progress Show

John Deere: investimento é constante

Luciana Brick

 COLHEITADEIRA Fábrica emprega 2.400 trabalhadores em Moline

 

Comitiva da região que está nos EUA conheceu a fábrica da empresa, em Moline

Alta qualidade, inovação constante e compromisso com os clientes. Estes são apenas alguns dos princípios que vêm sendo seguidos desde 1912, ano da construção da fábrica da John Deere, em Moline (Iowa). Inicialmente a produção era voltada à seifadora, porém em 1929 teve início a fabricação de colheitadeiras. Em área de 90 hectares e empregando 2.400 trabalhadores, sendo um terço de mulheres, a planta industrial recebe investimento constante. O valor investido anualmente não é revelado, porém só em 2007 foram US$ 8 milhões apenas no túnel de pintura de plataformas. Atualmente, o grupo comanda um novo investimento em uma das áreas da indústria, mas o projeto não é detalhado. Todo o processo de fabricação e montagem das colheitadeiras foi acompanhado pelo grupo de produtores, técnicos e representantes de cooperativas da região dos Campos Gerais que estão em viagem técnica aos Estados Unidos.

A equipe recebeu informações sobre a fundação da fábrica, bem como foi orientada a não fotografar ou filmar o processo de produção e montagem pelo ‘guia turístico’, funcionário da John Deere, Ed Wachs. A primeira área visitada foi a de máquinas com corte a laser de extrema precisão. A tecnologia neste setor é suíça com os equipamentos da marca Bystronic. Cada operador – altamente especializado – atende quatro máquinas a laser ao mesmo tempo. O grupo também acompanhou todo o processo de pintura das colheitadeiras. A nova área de pintura, inaugurada em 1999 teve investimento de US$ 40 milhões.

SYNGENTA

Após conhecer a fábrica da John Deere, o grupo de viagem seguiu para a cidade de Pekin, no Estado de Illinois, para visitar a unidade de tratamento da Syngenta. No local, a equipe foi recebida pelo coordenador da equipe de agrônomos, Kevin Scholl, que falou sobre as novas tecnologias aplicadas no campo experimental da multinacional.

Em seguida, a equipe foi recebida por Jarret Kuhn, engenheiro agrônomo da Syngenta, que mostrou o sistema de tratamento das sementes. Para o produtor rural Sinus Loman, de Santo Antônio da Platina (PR), integrante do grupo de viagem técnica, as explicações recebidas na empresa foram satisfatórias. “Pudemos aprender sobre sementes e vimos que o tratamento é parecido com o nosso”, fala.

 

PROGRAMAÇÃO DA VIAGEM

- Viagem para Aurora (Illinois)

- Viagem para Chicago (City Tour)