Polícia

Justiça anula julgamento de réu condenado por feminicídio

A justiça de Ponta Grossa anulou o julgamento que condenou um homem, de 37 anos, a 23 anos e oito meses de prisão, em novembro de 2017, pela morte de uma estudante de educação física, na época com 22 anos. O crime aconteceu em 2015 quando a jovem desapareceu no dia 14 de janeiro. O seu corpo foi encontrado uma semana depois, entre dois paredões de pedra, na região do Rio São Jorge.

O suspeito era ex-namorado da estudante e, na época, as investigações apontaram que os dois teriam discutido quando o autor jogou a jovem de uma altura de 15 metros, ainda viva. A estudante teria morrido afogada nas águas que cortam a fenda. O rapaz sempre negou as acusações e alegou que a ex-companheira teria caído acidentalmente.

De acordo com um dos assistentes de acusação, o advogado Fernando Madureira, detalhes técnicos foram os motivos que levaram à anulação do julgamento.

"Alguns detalhes não foram seguidos no Tribunal do Júri e acabou gerando esta nulidade. O réu agora será submetido a um novo julgamento. Ele permanece preso. Nada mudará em relação ao caso", apontou o advogado. A data para o novo júri ainda não foi divulgada.