Economia

Lei da terceirização estimula criação de MEIs

Ponta Grossa acumula 3,4 mil novos microempreendedores individuais neste ano e investe em políticas públicas voltadas aos empresários
(Foto: Fabio Matavelli/DC)

Enquanto que o saldo do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) aponta que em termos de trabalho formal Ponta Grossa registrou a criação de 1.173 empregos com carteira assinada neste ano, o total de microempreendedores individuais (MEIs) formalizados em 2019 chega a quase o triplo deste número. Segundo dados do Portal do Empreendedor, repassados à reportagem do DC pela assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal, de janeiro a novembro 3.412 MEIs foram criados na cidade.

Esse resultado corresponde a quase o dobro do registrado no ano passado, quando eram somadas 1.826 novas microempresas individuais, e com ele a cidade ultrapassa a marca de 17 mil MEIs. Para a coordenadora do órgão municipal voltado ao atendimento deste público – a Sala do Empreendedor, pertencente à Secretaria da Fazenda – o grande impacto desse crescimento é proveniente da lei da terceirização.

“Muitas atividades foram excluídas do quadro funcional das empresas e os MEIs vêm para prestar esse tipo de serviço, aproveitando a oportunidade. O cenário do emprego está mudando: essa terceirização é uma forma de absorção de mão de obra, na qual o antigo empregado passa a exercer a figura de empresário que presta serviço”, avalia Tônia Mansani.

Apoio

Quase a metade (1.770) dos novos MEIs ponta-grossenses foram abertos através do atendimento físico da Sala do Empreendedor – isso sem contar os que buscaram apoio na Sala Digital, que já soma mais de 64 mil acessos. “Nós trabalhamos com rês formas principais de auxílio: as capacitações, para a formação empresarial e o suporte na transição de empregado a empresário, as consultorias, junto a parceiros, e a facilitação do acesso ao crédito”, destaca Tônia.

Desde a semana passada três parcerias voltadas ao crédito foram fechadas pelo órgão. “Já contamos com as linhas da Fomento Paraná e agora também com as da Credisol e do Banco do Brasil e ainda fechamos um aporte para um fundo de aval para quem vai trabalhar com inovação”, lembra a coordenadora.

Com os novos convênios, a Instituição de Crédito Solidário - Credisol passa a integrar a estrutura da Sala do Empreendedor para oferta de crédito e orientação financeira gratuita para micro e pequenos empreendedores que têm dificuldade de acesso junto à outras instituições financeiras. O Banco do Brasil segue com a mesma proposta, ofertando a abertura de contas jurídicas com atendimento dentro da Prefeitura, além de disponibilizar a linha do Cartão Empreendedor – que, segundo Tônia, pode ser usado para fazer compras e remnovar estoques, entre outras funcionalidades.

Já através do fundo de aval criado também nos últimos dias o Município atuará como avalista junto à Sociedade Garantidora de Crédito do Centro Sul do Paraná (SGC Centro Sul), viabilizando crédito de R$ 2 milhões aos empresários locais. O recurso individual liberado será de até R$ 30 mil, dependendo de cada proposta.

Programa fomenta empreendedorismo

Lançado neste ano e com a previsão de abrir quatro turmas em 2020, o “Decola” é um programa pioneiro desenvolvido pela Prefeitura de Ponta Grossa, voltado a quem tem vontade de ter seu próprio negócio, mas ainda não sabe qual segmento de mercado seguir ou não tem a ideia toda desenhada. “Composto por workshops, ele é divido em três encontros: um trabalha com as tendências de mercado e qual o tipo de empreendimento que o mercado espera, o segundo com a metodologia de design thinking, para ver a empresa com o olhar do cliente, e o último cria uma proposta de valor com o Canvas, buscando entender onde o empreendedor se encaixa e qual a sua diferenciação de mercado”, explica a coordenadora Tônia Mansani.