Economia

Madero totalizará investimento de R$ 1,1 bilhão em Ponta Grossa

Mais de quinhentas novas vagas de emprego deverão ser geradas nas novas unidades
Secretário Loureiro anunciou que novas fábricas deverão ter o aporte de R$ 600 milhões (Foto: Fábio Matavelli)

Em entrevista ao jornal Diário dos Campos nesta sexta-feira (3) o secretário municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, José Loureiro, revelou que o grupo Madero está projetando novos investimentos no Distrito Industrial de Ponta Grossa, no valor de R$ 600 milhões. Junto aos outros negócios já anunciados pelo grupo o total dos recursos empregados na cidade deverá ser superior a R$ 1,1 bilhão.

Segundo Loureiro, que esteve reunido nesta semana com o fundador da marca, Junior Durski, a unidade fabril da empresa já instalada, chamada Cozinha Central, ganhará um “backup”. “Os planos do Junior são de construir uma nova cozinha, similar à que já existe na cidade e atende todo o Brasil, para ter a garantia de que a produção nunca seja afetada por possíveis problemas estruturais que possam ocorrer na unidade”, conta o secretário municipal.

Considerando que, conforme cita o gestor público, hoje a Cozinha Central emprega cerca de quinhentos funcionários e a nova construção deve servir como “garantia” produtiva, outras quinhentas vagas deverão ser geradas na cidade. “Além da segurança de ter outra opção caso algo extraordinário aconteça, o Madero também está em um processo de expansão e deve aumentar a sua fabricação de alimentos”, explica Loureiro.

Hoje a Cozinha Central de Ponta Grossa produz 92% de tudo que é consumido nos restaurantes do grupo, conforme informações repassadas pela assessoria da empresa. A unidade está passando por uma ampliação que deve ser finalizada em até três meses, segundo Loureiro. Seguindo os planos de expansão da marca, novos produtos também deverão ser ofertados pela indústria.

“O Junior pretende comercializar as suas receitas de maioneses, ketchup e mostarda, que hoje são apenas utilizadas no consumo interno dos restaurantes. A ideia é disponibilizar esses produtos para o mercado”, conta Loureiro.

O secretário municipal ainda revelou que, além da nova cozinha, também deverá ser aberta em Ponta Grossa uma fábrica moveleira, para produzir o mobiliário dos restaurantes da marca. “O Madero produz também os seus móveis e nos disse que quer concentrar as suas produções na nossa cidade”, apontou Loureiro.

Na reunião realizada nesta semana participaram o secretário municipal, o fundador do grupo, o prefeito Marcelo Rangel, o Secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, o coordenador municipal de desenvolvimento industrial, Adilson Strack e o Procurador Geral do Município, João Paulo Deschk.

Na próxima semana Durski deve retornar à cidade para, junto à Prefeitura Municipal, escolher o terreno que deverá ser doado pelo Município como incentivo aos novos investimentos. A previsão é de que o anúncio oficial e a assinatura do protocolo de intenções sejam realizados em cerimônia junto ao Governo Estadual no dia 24 de maio.

O empresário disse que estava em dúvida sobre fazer o investimento em Ponta Grossa ou em outros estados. “Geograficamente faria mais sentido irmos para a região de Minas Gerais ou Brasília porque vamos fazer muito no Nordeste, mas pelo time da cidade estamos mais pra fazer aqui do que lá”, afirmou Junior Durski em vídeo publicado pelo prefeito Marcelo Rangel em redes sociais.