Cidades

Mais de 12% dos bebês de PG nascem prematuros

Prematuros precisam ter cuidado redobrado (Foto: Fábio Matavelli)

O dia 17 de novembro é lembrado como o Dia Mundial da Prematuridade e, por essa razão, foi instituído como o Novembro Roxo. Quatro semanas durante as quais hospitais e órgãos de saúde do Brasil todo se mobilizam em campanhas que visam reduzir o número de bebês prematuros.

Considera-se prematuridade o nascimento de bebês antes da 37ª semana de gestação, o que acaba expondo a criança a riscos, já que sua imunidade se apresenta ainda mais baixa que recém-nascidos comuns. Segundo a OMS, o número de prematuros nascidos varia entre 5% e 18% em todo o mundo.

Em Ponta Grossa, conforme dados obtidos pelo Diário dos Campos junto ao portal Datasus do Ministério da Saúde, o número de bebês nascidos prematuros é maior que a média nacional. Enquanto que, em 2016*, o Brasil registrou 11,1% de prematuros, Ponta Grossa registrou 12,1% no mesmo período. Cinco anos antes, os prematuros na cidade correspondiam a 11,5% dos nascidos no município, enquanto que no país eles eram 11,8%. Isso demonstra que houve aumento nos bebês nascidos antes do tempo ideal em Ponta Grossa, com redução na média nacional. Segundo a OMS, essa é uma tendência mundial, e que preocupa.

Em escala mundial, essa é apontada como a maior causa de mortalidade de crianças com menos de cinco anos de idade. Mais de 75% dos bebês prematuros podem se salvar, desde que tenham acesso a adequado atendimento durante o parto e imediatamente após o nascimento, além do acompanhamento de suas mães. O tratamento inclui medicação capaz de fortalecer os pulmões dos pequenos e aplicação da técnica da mamãe canguru (que mantém a criança em contato com a pele da mãe e favorece amamentação frequente).

*O ano de 2016 corresponde ao dado mais recente divulgado pelo sistema online Datasus

 

Cuidados

Antibióticos também podem evitar infecções no recém nascido. O parto induzido e o parto por cesária não devem ser realizados antes da 39ª semana de gestação. Muitas vezes, os casos de prematuridade são relacionados com a falta de um pré-natal adequado, ou com gestações na adolescência ou tardias.

 

Retinopatia

O médico pediatria ponta-grossense Ângelo Luiz de Col Defino destaca que, em caso de nascimento antes do tempo ideal, é possível evitar problemas maiores se a criança receber acompanhamento especializado adequado. “O maior problema para os prematuros ocorre quando o pulmão não chega a estar bem desenvolvido até o nascimento, sendo necessário o uso de ventilação mecânica. Sem os cuidados corretos, existe um risco maior de problemas como a retinopatia da prematuridade, quando os olhos não se formam corretamente”, diz.