Série Especial DC

Melhoria da infraestrutura traz desenvolvimento social

Mundo à fora, vem se estabelecendo o entendimento no mercado empresarial que o desenvolvimento da sociedade se dá através do equilíbrio entre crescimento econômico e social. Em muitas organizações, inclusive, as frases ‘investir em infraestrutura’ e ‘agir com responsabilidade socioambiental’ têm o mesmo significado.

Nos dois casos, o foco está em priorizar o que é base indispensável para o desenvolvimento de qualquer estrutura, garantir as condições para o crescimento uniforme, tanto dos negócios como da comunidade onde a empresa está inserida.

Estudo que está sendo desenvolvido por um grupo de pesquisadores da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) já aferiu que o desenvolvimento social está diretamente atrelado aos polos regionais onde as condições de infraestrutura são melhores. “Estamos analisando o impacto do programa Paraná Competitivo no desenvolvimento do Estado. Está claro que as regiões que receberam as maiores indústrias tiveram melhora nos índices sociais. Estas empresas procuram regiões de boa logística, com boas rodovias e logística favorável”, destacou a professora de Economia da UEPG e uma das coordenadoras do estudo, Augusta Pelinski Raiher.

 

Divulgação
Para as gestantes que completam todas as consultas do pré-natal, de acordo com a recomendação da ONU, a concessionária repassa kit com enxoval de bebê

 

Parte do desenvolvimento social proporcionado nas cidades é decorrente da própria ação das empresas, através de projetos de relacionamento com a comunidade. Um exemplo deste modelo de gestão vem da CCR RodoNorte. A concessionária está sediada em Ponta Grossa há aproximadamente 20 anos e, neste período, beneficiou diretamente cerca de 200 mil pessoas através de 31 projetos sociais ativos, desenvolvido em 20 cidades.

Além de ações voltadas para segurança viária, educação e cidadania, a empresa se tornou referência no atendimento em saúde em algumas comunidades. Principalmente por conta do programa Parto Humanizado, realizado em parceria com a Pastoral da Criança e prefeituras, com objetivo de motivar gestantes para a realização das sete consultas de pré-natal recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

Referência

Em algumas comunidades, o serviço oferecido pela empresa se torna a primeira opção.

São comuns que pessoas machucadas por acidentes domésticos, mulheres em trabalho de parto, pessoas com suspeita de enfarte, entre outros casos, procurem as bases de atendimento ao usuário da concessionária em busca de socorro. Em média, o número deste tipo de atendimento passa de 100, por mês.

A dona de casa Rosilda Aparecida Marques da Silva é uma das pessas atendidas pelas equipes de resgate. O parto do seu segundo filho aconteceu dentro de uma ambulância da concessionária, às margens da BR-376. Ela e o marido trafegavam pela Rodovia do Café, em direção ao hospital da cidade de Tibagi, quando a entrou em trabalho de parto. Edson, o marido, não pensou duas vezes e procurou auxilio na Base do SOS Usuário.

“Nós fomos atendidos prontamente. Os socorristas foram verdadeiros anjos, ajudando a minha esposa e o meu filho”, disse Edson

Gestantes que completam todas as consultas do pré-natal, concessionária repassa kit com enxoval para o bebê