Política

"Meu maior legado é a política de resultado", afirma Pauliki

Chegando ao fim do mandato de deputado estadual, Marcio Pauliki (SD) faz balanço das principais ações desenvolvidas 
Marcio Pauliki: Em 2020 participarei, com certeza, de forma direta ou indireta, do pleito municipal (Foto: José Aldinan)

Chegando ao fim do mandato de deputado estadual, Marcio Pauliki (SD) apresenta o balanço das principais ações realizadas ao longo dos últimos quatro anos. Pauliki, que está no primeiro mandato de deputado estadual, disputou a eleição a deputado federal nas eleições de 2018, obteve 67.125 votos mas acabou não se elegendo. No entanto, como ficou com a primeira suplência na coligação MDB / PDT / Solidariedade / PC do B, Pauliki não descarta a chance, caso algum dos três deputados federais eleitos se afaste, de assumir cadeira na Câmara Federal. 
Em entrevista ao Diário dos Campos, ele ressalta que o foco na Assembleia Legislativa do Paraná foi proporcionar resultados efetivos através da sua atuação política, ressaltando ainda a parceria com os vereadores de Ponta Grossa, Dr. Magno e Jorge da Farmácia, ambos do PDT, neste período. 
Ele afirma ainda que continuará trabalhando na tentativa de viabilizar recursos para Ponta Grossa e região, especialmente na área de saúde e desenvolvimento econômico e social, e já adianta que participará direta ou indiretamente das eleições municipais em 2020. Confira trechos da entrevista. 

Posicionamento político 
"Acredito que a política do jeito certo é a política que traz resultados efetivos. Participei da frente parlamentar contra a renovação do pedágio, visitamos mais de dez cidades em mais de dez audiências e isso fez com que a renovação dos contratos de pedágio fosse evitada. Fui presidente da CPI das Questões Fundiárias e o resultado foi a criação de uma vara especializada em assuntos fundiários no Poder Judiciário para minimizar o problema de conflitos agrários no estado. 
Além disso, nos primeiros meses de mandato, quando houve o conflito entre o governo do Estado e os servidores públicos, fui categoricamente contra a retirada dos depósitos da aposentadoria do Paraná Previdência.Também limitamos o teto de impostos para micro e pequenos empresários  e trabalhei com o adiantamento de impostos do Paraná Competitivo para as cidades que represento. Além disso, consegui regulamentar o Ceasa, permitindo sua expansão, o que vai permitir que possa ser implantando em Ponta Grossa também". 

Propostas aprovadas 
"Tenho 12 propostas de leis que foram aprovadas, muitas em defesa do consumidor, mas algumas tiveram destaque. A primeira não é exatamente uma proposta de lei, mas é um requerimento aprovado, que é o Nota Paraná Solidária - com recursos para as entidades - que já beneficiou 1.300 entidades, chegando a R$ 110 milhões em dois anos. Outro destaque é a regulamentação da equoterapia no Paraná, com aumento de recursos para a esta prática. 
E, mais recentemente, minha 12ª lei aprovada é referente aos distritos industriais regionais, que vai descentralizar os impostos e os empregos do estado. Foi um trabalho de um ano e meio; já identificamos três regiões que serão beneficiadas num primeiro momento - Centro Sul, Norte Pioneiro e Campos Gerais. Com a lei, conseguimos adaptar também para redistribuição do ICMS do Projeto Puma de Ortigueira. 
Além disso, outra conquista é o Instituto do Câncer. Em abril, teremos a inauguração da primeira fase, que é de leucemia e linfomas, e já temos os R$ 8 milhões liberados através de um abaixo-assinado em que coletamos 50 mil assinaturas".

Recursos viabilizados 
"Em recursos, através do trabalho técnico e político, viabilizei R$ 10 milhões para a implantação do Instituto do Câncer dos Campos Gerais; R$ 4,2 milhões em emendas pagas para as áreas de agricultura, meio ambiente, segurança pública, saúde, educação e esportes e mais R$ 4,1 milhões em emendas para a área de infraestrutura urbana. Além disso, trabalhei para viabilização de R$ 83 milhões em recursos de financiamento para 38 cidades, via Paraná Competitivo e Sedu [Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano], incluindo R$ 30 milhões para a pavimentação de ruas em Ponta Grossa. Para 2019, inseri na Loa [Lei Orçamentária Anual R$ 31,7 milhões para investimentos, incluindo repasses para o Corpo de Bombeiros de Ponta Grossa e Instituto Médico Legal". 

Câmara Federal 
"Como sou primeiro suplente da coligação, vou participar da cerimônia de diplomação na terça-feira (18). Há chance de assumir o cargo de deputado federal caso algum dos três deputados eleitos venha assumir alguma secretaria diretoria estatal, por exemplo. Não estou levando muito isso em consideração porque não depende de mim. Mas, os quase 70 mil votos conquistados e a primeira suplência me dão o aval de fazer as cobranças como cidadão". 

Planos para 2019
"Vou continuar trabalhando através do Instituto Mundo Melhor, aumentando as ações na capacitação de jovens e de idosos para o mercado de trabalho. Através de parceria com os deputados Plauto Miró e Mabel Canto quero tentar viabilizar as emendas que inseri na LOA. Vou continuar discutindo a cidade, o que venho fazendo desde 2012, quando me candidatei a prefeito. A experiência como deputado estadual me dá totais condições de poder apresentar os objetivos e as conquistas que pensamos para uma cidade que vai completar 200 anos em 2023. A discussão que quero trazer é qual a Ponta Grossa que queremos nos seus 200 anos. São opiniões e sugestões de quem vive a cidade no seu dia a dia como empreendedor comercial, social e político".  

Eleições municipais 
"Eu entrei na vida política me candidatando a prefeito. Mesmo sendo deputado, minha essência é executiva, de um gestor, que hoje tem conhecimento público e privado. Eu posso adiantar que em 2020 estarei, com certeza, de forma direta ou indireta participando do pleito porque tenho muito a acrescentar nas discussões.