Cidades

Miguel Sanches: retomada de obras é prioridade da nossa gestão

O reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa, Miguel Sanches Neto, conversou com o Diário dos Campos e destacou as principais conquistas em seu primeiro ano de gestão
(Foto: José Aldinan)

O reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Miguel Sanches Neto, conversou com a reportagem do Jornal Diário dos Campos e fez um balanço do seu primeiro ano de gestão. Apontado por ele como um ano difícil, Miguel destaca que o primeiro semestre foi um período de adaptação com as mudanças de governo federal e estadual e aproximação dos novos gestores. Apesar das dificuldades encontradas no início, o reitor destaca muitas conquistas de 2019, entre elas, a retomada das obras que estavam há anos paradas. Confira a entrevista completa.

Obras paradas

"Recebemos muitas obras paradas ou que não estavam sendo executadas. Hoje não estamos com nenhuma. As que ainda não foram entregues já estão em processo de licitação. Uma delas é o Centro de Eventos PAX, considerado o maior Centro de Convenções dos Campos Gerais, com quatro mil metros, previsto para ser entregue em 2020", aponta.

Outro destaque é o Teatro PAX que também passará por revitalização. "Todo o teatro será reformado dom dinheiro que recebemos do governo do Estado. Também estamos terminando um laboratório multiusuário no campus, além do laboratório de Engenharia de Materiais. Além desses, a nossa previsão é entregar outros três laboratórios novos que estavam perdidos há anos. Isso mostra que não medimos esforços para ir atrás de verbas e recursos para a universidade".

Apesar das dificuldades encontradas no início, o reitor, Miguel Sanches, destaca muitas conquistas de 2019. (José Aldinan)

 

Ajustes

O começo do ano, segundo o reitor, foi um período de ajustes de relações com os novos governos, mas que a partir do segundo semestre isso se regularizou. "Apesar dessas dificuldades, esse foi um ano muito bom no ponto de vista dos investimentos na universidade. Temos trabalhado em sintonia com as políticas públicas do governador Ratinho Júnior, que valoriza muito a UEPG como uma agência de desenvolvimento regional".

Investimentos

Sanches aponta que, historicamente, 2019 foi o ano em que a UEPG teve mais dinheiro para investir. "O nosso orçamento de investimento de custeio era da ordem de R$ 7 a R$ 10 milhões. E, nesse ano, fechamos em R$ 17 milhões de investimentos provenientes do governo do Estado.

Também um crescimento de investimentos no Hospital Universitário de tal forma que o hospital está com todas as suas contas pagas de 2019 e já estamos empenhando algumas contas de 2020.

Se avaliarmos, em termos de custeio e investimento ,foi o ano em que houve mais investimento nas últimas décadas".

Contratações

No entanto, existe um lado negativo: o avanço nas contratações de professores concursados e que ainda aguardam ser chamados. "Estamos com uma demanda reprimida de professores concursados e que ainda não foram contratados.

Mas a nossa principal deficiência são os quadros técnicos e que ainda não há expectativa de concurso. Por conta da Reforma da Previdência, gerou precipitação nas aposentadorias e as pessoas com medo pediram as suas aposentadorias. Isso nos deixou sem os quadros dentro da universidade. Esse é um dos maiores problemas que a UEPG vive hoje".

Combo de segurança

O chamado Combo de Segurança pelo reitor é umas das principais conquistas apontadas por ele ao longo de 2019, onde várias medidas nessa área ajudaram a tornar o campus de Uvaranas um dos lugares mais seguros de Ponta Grossa.

"Foram investidos R$ 1,5 milhão em iluminação - uma parte executada na gestão anterior e a outra metade executada dentro do programa Rota Segura.

Instalamos no campus a base da Polícia Militar dando ainda mais segurança para as pessoas que frequentam o local.

Também mudamos o sistema de segurança monitorada e contratamos agentes universitários temporários dando mais agilidade. Aprimoramos, ainda, o modo de acionar pelo celular quando o aluno tem algum tipo de insegurança.

Isso fez com que as pessoas viessem a frequentar mais o campus. Avançamos muito nesse sentido, talvez como nunca foi feito na história da universidade".

Internet

A UEPG também investiu R$ 1,3 milhões para melhorar o sistema da universidade com recursos próprios e também realizou algumas ações com a implantação da Rede Nacional de Pesquisas (RNP).

"Nós criamos a RNP para interligar todos os órgãos de pesquisas públicas da cidade com o campus de Uvaranas juntamente com futuro Instituto Federal do Paraná, a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Parque Ecotecnológico e a Prefeitura. É uma rede extremamente ágil para integrar mais as nossas equipes".

Instituto Médico Legal

Outro destaque é a execução do projeto do Instituto Médico Legal (IML) que deverá ser licitado nos próximos dias. "Após a licitação dos projetos complementares, faremos a licitação de um prédio calculado em R$ 10 milhões, investimento da Secretaria Estadual de Segurança Pública.

Temos trabalhado muito com a ideia de que a universidade precisa estar a serviço da comunidade e ao criar esses instrumentos estamos melhorando as condições de ensino e pesquisa dos alunos.

O IML também irá contar com um Centro de Anatomia e atenderá os cursos da UEPG de forma interligada. Dessa forma, os nossos alunos terão acesso ao IML com auditórios e salas de aula.

Esse é um dos maiores projetos da nossa gestão e estará próximo ao HU criando um corredor da área da saúde, juntamente com o Serviço Verificação de Óbitos (SVO), uma atribuição da Prefeitura dentro do IML".

Assessoria de comunicação

Miguel parabeniza ainda a assessoria de comunicação da sua gestão. "A nossa assessoria é a mais ágil e moderna do Brasil. Mudamos a maneira de nos comunicarmos com a sociedade, partindo de um principio básico de mudar a forma de falar com os nossos alunos. Deixamos de nos comunicar com uma linguagem acadêmica e agora estamos usando o arsenal das redes sociais através das lives e memes". 

Bolsas

Sanches destaca que algumas bolsas de pesquisa deverão retornar para a universidade em 2020. "Perdemos algumas bolsas que estavam inativas, mas que agora percebemos uma retomada e temos convicção de que teremos a volta.

No governo federal existem muitas mudanças de dirigentes e isso dificulta, no entanto, muitos programas que haviam sido suspensos estão sendo retomados. Em 2020, haverá uma continuidade de todas as políticas públicas".

Casa de Acolhida

A universidade também está em fase de conclusão do projeto da Casa da Acolhida para receber os familiares dos pacientes que estão internados no HU. "Então teremos uma casa preparada para que os acompanhantes tenham onde ficar. Através de uma parceria com a Justiça Federal conseguimos uma verba de R$ 500 mil para a construção do espaço".

Museu Campos Gerais

O Museu Campos Gerais também passou por revitalização e triplicou o seu espaço para receber os visitantes. "Hoje o Museu Campos Gerais é um Centro Cultural e conta recorde de público que prestigiam as exposições e os debates que promovemos no local".

Desafios para 2020

Para Sanches, o maior desafio para 2020 será a reposição dos quadros da universidade. "Também temos o objetivo de fazer o recapeamento do asfalto do campus de Uvaranas, a pintura dos prédios e reforma do prédio central com janelas e vidros anti ruídos, além da reforma do estacionamento central. Priorizar os projetos coletivos e atendemos a comunidade interna e externa".

Obras do Centro Cultural PAX devem ser entregues em 2020. (Foto: Arquivo DC)