Polícia

ONG oferece R$ 2 mil por pistas de matador de cães

A ONG Associação Protetora dos Animais de Ponta Grossa (APA-PG) está oferecendo uma recompensa de R$ 2 mil para quem der informações que levem à identificação confirmada do autor dos envenenamentos de cães, registrados nos últimos dias na região da Vila Romana. Ao todo foram 39 cães envenenados, sendo 29 óbitos em decorrência de envenenamento.

Conforme a ONG, alguém intencionalmente deu alimentos contaminados com a substância estricnina, popularmente conhecida como “chumbinho”. Altamente tóxico, o veneno foi dado também a animais de rua, mas a maioria dos contaminados tem dono. Para a presidente da APA-PG, Maria José Zimermann Silveira, um crime como esses não pode ficar impune, além de significar que uma pessoa desequilibrada e altamente perigosa está disposta a matar sem remorso, já que os envenenamentos parecem ter ocorrido ao longo de vários dias.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PG), através de sua Comissão de Defesa dos Animais, também se manifestou, emitindo nota em apoio às iniciativas da ONG, na busca pelo culpado das mortes dos animais. O apoio se deve, também, ao fato de que o chumbinho tem venda proibida em todo o Brasil e, como foi jogada dentro de casas, coloca em risco também a vida de crianças.

Quem tiver informações concretos sobre o autor, ou autores, do crime de envenenamento dos animais pode entrar em contato através do telefones 153 ou 0800-643-2626, da Guarda Municipal.

Fábio Matavelli
Moradores cobram justiça após dezenas de animais terem sido mortos