Vídeos

Operário Ferroviário parte para mata-mata que vale vaga na Série B

Neste domingo o Operário Ferroviário entra em campo para o início da decisão mais importante da história recente do clube, quando enfrenta o Santa Cruz pelas quartas de final do Campeonato Brasileiro da Série C. O jogo começa às 17 horas, no Estádio do Arruda, que deve ter casa cheia. O segundo confronto será no dia 26, em Vila Oficinas e quem passar garante a classificação para disputar a Série B, em 2019.

O Fantasma parte para este confronto determinado a fazer um grande jogo para depois poder decidir em casa com mais tranquilidade. “Chegamos até aqui e agora é o momento de decidir a nosso favor. Sabemos que vamos enfrentar um time com grande tradição e que tem o mesmo objetivo. Mas, estamos preparados. Temos que fazer um jogo inteligente, marcando forte e também buscando o resultado”, disse o técnico Gerson Gusmão.

Entre os cuidados para esta partida, o treinador alvinegro revelou preocupação com o ataque adversário. ”Eles tem um trio de frente muito rápido e são habilidosos. Temos que ter muita atenção e jogar com eficiência, no modo como estamos jogando a competição até agora”. Sobre a pressão no Mundão do Arruda, Gerson Gusmão foi claro. “Se eles contam com uma grande torcida, nós também temos e vamos tentar um bom resultado para decidir em casa, com o Germano Krüger lotado”, completou.

O volante Chicão, capitão do Operário Ferroviário, também comentou sobre o confronto. “Já conquistei acesso em outras equipes e também aqui no Operário. Este talvez seja o jogo mais importante da minha vida e todos no grupo estão sabendo da responsabilidade. Estamos focados nesse objetivo e vamos buscar com todas as forças”, disse o experiente jogador. O presidente da Federação Paranaense de Futebol, Hélio Cury, estará junto a delegação do Fantasma, em Recife.

A torcida do Operário se reuniu em frente ao Estádio Germano Krüger, na noite de quinta-feira (16), para uma festa de despedida aos jogadores, que partiram para Recife:

Imagens: Giovana Scarpim Bueno e Leandro Bezerra Rodrigues