Cidades

Papa chama dom Sergio de ‘pastor valente’

O bispo da Diocese de Ponta Grossa, dom Sergio Arthur Braschi, foi recebido pelo Papa Francisco por mais de três horas, na última segunda-feira (24). O encontro aconteceu em uma das bibliotecas particulares do Papa. Nesta Quarta feira de Cinzas, os bispos participariam da missa com o Papa, na Basílica de Santa Sabina, às 16h30, no horário de Roma. A Visita Ad Limina Apostolorum termina neste dia 27.

“Um dos pontos altos da visita ao lado da oração junto ao túmulo dos apóstolos foi o encontro com o Santo Padre: a nossa comunhão, como bispos representando nossas dioceses, de estar com o sucessor de Pedro. E o Papa Francisco foi de uma gentileza ímpar; nos recebeu ontem de manhã (segunda-feira de Carnaval), por mais de três horas. Conversamos com ele, com calma. Momento em que cada bispo que desejou pode fazer uma pergunta, dar uma palavra”, detalhou dom Sergio.

O bispo disse que contou ao Papa que a diocese estará ordenando 47 novos diáconos este ano e que ele ficou muito feliz. “Pedi a ele também que abençoasse a diocese e ressaltei a presença da Infância e Adolescência Missionária, ao que ele me garantiu que, dentro de pouco tempo, nós teremos a beatificação da fundadora da Obra da Propagação da Fé (Paulina Jaricot), que é onde estão a juventude missionária, onde estão todas as raízes do trabalho missionário. Fiquei profundamente feliz e agradecido. Ele foi muito querido e receptivo. Na despedida, tomou as minhas mãos e me animou a continuar em frente, como um bispo, um pastor valente do povo de Deus”, acrescentou.

Na visita de dez dias, o bispo de Ponta Grossa ficou responsável por falar em nome do grupo no encontro que os paranaenses tiveram com os representantes do Tribunal da Penitenciaria Apostólica, no dia 19, e, também por presidir a missa celebrada na Basílica de São Paulo fora dos Muros, na sexta-feira (21). Os bispos estiveram nas Sagradas Congregações, Dicastérios e Pontifícios Conselhos, que são escritórios que assessoram o Papa. A última Visita Ad Limina Apostolorum ocorreu há dez anos, ainda durante o pontificado de Bento XVI.