Patrulha Maria da Penha acompanha mais de cem medidas protetivas

Perto de completar oito meses da sua criação, a Patrulha Maria da Penha supera a marca de cem medidas acompanhadas pelos agentes da Guarda Municipal. O número é dez vezes maior quando comparado ao início dos trabalhos das equipes, em outubro de 2017.

De acordo com a coordenadora da Patrulha, Liliane Chociai, o aumento do número de atendimentos pelo departamento se deve ao trabalho intenso desenvolvido em parceria com o poder judiciário e a Polícia Civil, identificando os casos e oferecendo suporte às mulheres vítimas de violência. “Apesar de começarmos com um número pequeno, a presença das nossas equipes e o suporte oferecido por elas, pelo judiciário e pela Polícia Civil acabaram trazendo segurança às mulheres para que denunciassem e solicitassem nosso acompanhamento, o que fez com que os atendimentos aumentassem mês a mês”, explica.

Outro aspecto apontado pela SMCSP como reflexo da criação da Patrulha Maria da Penha é o aumento no número de solicitações  relacionadas à violência doméstica que chegam aos guardas municipais da Central de Monitoramento. “Desde a criação da Patrulha, esse número tem sido ampliado, chegando a atingir quase 30 solicitações por semana, dependendo do mês. Por mais que pareça ser um número pequeno, essa média já se aproxima do total atendido pela guarda municipal em todo o ano de 2017”, ressalta o secretário Ary Lovato.

O trabalho da Patrulha Maria da Penha consiste no acompanhamento de vítimas de violência doméstica que possuem medidas protetivas no município. Além dessa ação, os guardas municipais  da Patrulha também realizam, quando necessário, o encaminhamento das vítimas para outros órgãos de atenção à mulher disponíveis na cidade.

A Patrulha foi criada há 8 meses em Ponta Grossa (Foto: Divulgação)