Política

Pauliki ressalta necessidade de reestruturar IML de PG

O deputado estadual Marcio Pauliki (PDT) ressalta a necessidade de reestruturar o Instituto Médico Legal (IML) de Ponta Grossa. Ele aponta que desde o início do seu mandato tem atuado visando reivindicar junto ao poder público melhorias para o órgão. Recentemente, Pauliki comemorou a contratação imediata de mais três novos médicos peritos nomeados pelo governo do estado.

“Mas ainda é preciso evoluir. Portanto, minha cobrança para a estruturação do IML que atende toda região dos Campos Gerais é incansável. É preciso contratar mais peritos, motoristas e demais técnicos da polícia científica para atender adequadamente a população pois as famílias que passam por um momento difícil nessas horas precisam de um atendimento eficiente e rápido”, afirma Pauliki.

O deputado destaca que já destinou no orçamento do Estado recursos para a readequação do IML de Ponta Grossa. Nesse sentido, será realizada uma reforma emergencial no Instituto para ajustar o setor de necropsia, que temporariamente irá funcionar no Hospital Regional Universitário dos Campos Gerais. “Situações como a da família do jovem que esperou o carro do IML por oito horas é inadmissível. Inclusive a Secretaria de Segurança informou que irá fazer uma apuração interna para saber quais falhas ocorreram. Tenho realizado cobranças efetivas para que casos como esse nunca mais se repitam e vou estar acompanhando o desenrolar dessa apuração”, diz o deputado.

Além de mais estrutura física e de profissionais, Pauliki é autor de um projeto de lei protocolado junto à Assembleia Legislativa do Paraná que obriga a todos os IMLs do Paraná a fixarem diariamente o nome dos médicos e de toda equipe de plantão e seus respectivos horários de trabalho.

“É preciso atuarmos dando transparência no sistema público, dando ferramentas para que a população possa cobrar por seus direitos”, afirma Pauliki. Odeputado também é autor de uma lei, já aprovada e sancionada, que determina a livre escolha da funerária para providências de sepultamento.

Pauliki em reunião com o diretor-geral da Polícia Científica, Hemerson Bertassoni