Política

“Pedido de apreensão de celular do presidente é inconcebível”, aponta General Augusto Heleno 

(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Há pouco, o deputado federal Paulo Eduardo Martins divulgou em sua página no Facebook, nota assinada pelo ministro Augusto Heleno Ribeiro Pereira – do Gabinete de Segurança Institucional – sobre o pedido de apreensão do celular de Jair Bolsonaro. A manifestação ocorreu depois que o  ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou à Procuradoria Geral da República (PGR) três notícias-crime apresentadas no final de abril por políticos e partidos de oposição sobre suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal. Entre as medidas solicitadas nos requerimentos e encaminhadas para avaliação do Ministério Público Federal (MPF), estão o depoimento do presidente e a busca e apreensão do celular dele e de seu filho, Carlos Bolsonaro, para perícia.

 Confira a nota, na íntegra:
“O pedido de apreensão do celular do presidente da República é inconcebível e, até certo ponto, inacreditável. 
Caso se efetivasse, seria uma afronta à autoridade máxima do Poder Executivo e uma interferência inadmissível de outro Poder, na privacidade do Presidente da República e na segurança institucional do país. 
O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República alerta as autoridades constituídas que tal atitude é uma evidente tentativa de compreender a harmonia entre os poderes e poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”.

Augusto Heleno Ribeiro Pereiro 
ministro de Estado Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República