Economia

Pequenas empresas crescem acima da média geral no setor de serviços em PG

Arrecadação de ISSQN do Simples Nacional registra quase duas vezes a alta do total da atividade

Com crescimento expressivo tanto na arrecadação própria da modalidade quanto na participação no total do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN), as prestadoras de serviços do Simples Nacional têm se destacado na economia ponta-grossense. Segundo dados repassados pela assessoria de imprensa da Secretaria Municipal da Fazenda ao jornal Diário dos Campos, apenas até o último mês o a arrecadação de ISSQN das pequenas empresas da cidade já ultrapassou a soma alcançada nos doze meses de 2018.

De janeiro a outubro desse ano as optantes pelo Simples somaram uma contribuição de R$ 20,31 milhões, 24,6% a mais do que o registrado no mesmo período do ano passado. Os dez primeiros meses de 2019 já ultrapassaram em R$ 366,7 mil o valor de 2018 inteiro – pela média de R$ 2 milhões mensais, a projeção é de que até dezembro próximo o montante alcance pelo menos cerca de R$ 24,3 milhões, um incremento de quase R$ 5 milhões na receita municipal.

Comparando esse resultado com o total das contribuintes da cidade, a variação das pequenas empresas (+24,6%) é quase o dobro da média geral, que foi de +13% de janeiro a outubro de 2019 frente aos mesmos meses 2018, somando R$ 83,07 milhões. Outro indicador positivo é o aumento da participação dos pequenos negócios neste valor geral: de 22,3% nos dez primeiros meses do ano passado e 22,58% até dezembro, para 24,45% até outubro de 2019.

O ISSQN é recolhido diretamente pelo Município e representa a maior receita própria da Prefeitura e a terceira maior no geral, atrás apenas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Do seu total, a maior parte é destinada à saúde e educação e o restante é recurso livre.

Aumento justificado

Conforme destaca o secretário municipal da Fazenda, Cláudio Grokoviski, entre os fatores que justificam o incremento está, além do desenvolvimento do setor de prestação de serviços, a justiça fiscal. “Em 2016 a média mensal da arrecadação do Simples Nacional era R$ 900 mil, e no mês passado chegamos a R$ 2,25 milhões. Isso mostra que os números começaram a ser crescentes quando adaptamos a lei do ISSQN e atualizamos a lei geral, quebrando todas as isenções existentes – mais de quatro mil empresas não contribuíam com nada”, afirmou Grokoviski em entrevista ao DC.

Outra mudança lembrada por ele foi a obrigatoriedade da emissão de notas fiscais eletrônicas. “Até o final de 2016 existiam os blocos de papel e partir de 2017 tudo ficou eletrônico, com mais controle, mais ISSQN pago e menos sonegação”, ressalta o gestor, que também ressalta a realização de fiscalizações setorizadas.  “No ano passado iniciamos essas fiscalizações focadas em setores específicos; cada mês as empresas de determinado tipo de atividade são analisadas para promover a justiça fiscal em Ponta Grossa”, conta Cláudio Grokoviski.

 

Expectativa recorde

Conforme já adiantado pelo jornal Diário dos Campos na semana passada, 2019 pode ser finalizado com um valor recorde de R$ 100 milhões arrecadados em ISSQN pelo setor de serviços em Ponta Grossa. Até outubro a soma chegou a R$ 83,07 milhões, apenas R$ 5,22 milhões a menos do que o registrado nos doze meses de 2018.

Relembre a reportagem completa e a relação das maiores contribuintes da cidade no site do DC: https://www.diariodoscampos.com.br/noticia/setor-de-servicos-cresce-e-arrecadacao-deve-chegar-a-r-100-mi-em-pg

 

ISSQN do Simples Nacional em Ponta Grossa

Jan a out/2018: R$ 16,29 milhões

Jan a dez/2018: R$ 19,94 milhões

Jan a out/2019: R$ 20,31 milhões

*Os dados foram repassados pela Secretaria Municipal da Fazenda

 

“Em 2016 a média mensal da arrecadação do Simples Nacional era R$ 900 mil e no mês passado chegamos a R$ 2,25 milhões”, destaca Cláudio Grokoviski