Economia

PG fica na 72ª posição no PIB nacional

Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que a cidade de Ponta Grossa está entre as 100 cidades do Brasil com maior valor do Produto Interno Bruto (PIB). A pesquisa é referente ao ano de 2016 e são apresentados os valores adicionados brutos dos grandes setores de atividade econômica, o PIB e o PIB per capita.

Ponta Grossa ficou na 72ª posição nacional e em sétimo no PIB paranaense. A cidade aparece com o valor de R$ 12,97 bilhões no total do PIB. Um incremento de R$ 1,38 bilhão em relação a 2015. O município também subiu duas posições no ranking nacional. O PIB per capita (por habitante) ficou em R$ 38. 035,14 mil.

O PIB paranaense fechou em 2016 em R$ 401,66 bilhões. As cidades do Paraná que aparecem no ranking nacional são: Curitiba ficou em 5° lugar nacionalmente com PIB de R$ 83,78 bilhões; São José dos Pinhais com R$ 20,14 bilhões (40ª) posição; Londrina com R$18,46 bilhões (46ª); Araucária com total de R$ 16,97 bilhões (51ª); Maringá com R$ 16,12 bilhões (55ª), Foz do Iguaçu com R$ 13,38 bilhões (65ª); a cidade de Ponta Grossa com R$ 12,97 bilhões (72ª) e Cascavel totalizando o PIB com R$ 10,78 bilhões (85ª).

Setores

Ponta Grossa se destacou nos valores adicionados (VA) brutos nos setores da indústria, serviços e na categoria que contempla administração, defesa, educação e saúde pública e seguridade social.

A indústria aparece com um VA de R$ 3,9 bilhões e a cidade em 49ª posição paranaense. O setor de serviços fechou em R$ 5,7 bilhões e em 75ª no ranking estadual. Já a categoria que inclui administração, defesa, educação e saúde pública e seguridade social ficou com R$ R$ 1,3 bilhão e em 79° na posição paranaense.


Perfil dos municípios

Em 2016, os 1.456 municípios predominantemente urbanos responderam por 87,5% do PIB brasileiro. Os 1.318 municípios com os menores PIBs responderam por cerca de 1% do PIB e por 3,1% da população brasileira. Já os 100 maiores PIBs municipais representaram 56% do PIB.

Apesar de ainda ter essa concentração em torno de seis grandes cidades, a economia brasileira está cada vez mais desconcentrada. Nesse período de 15 anos, as capitais estaduais reduziram sua participação de 36,1% para 33,1%.

Segundo o pesquisador do IBGE Frederico Cunha, nos últimos anos, houve uma desconcentração da indústria no país que trouxe, com ela, o crescimento dos serviços e administração pública para esses novos municípios. “Quando você descentraliza e a indústria avança, é preciso levar serviços. E o estado acaba tendo que crescer”, explica.

PIB de Ponta Grossa fechou em R$ 12,97 bilhões (foto: Arquivo DC)