PG 193 anos

PG: muito perto de ganhar os céus

A partir de 13 de outubro, Ponta Grossa terá voos comerciais diários para Campinas, em São Paulo. Trajeto será feito pela Azul

Na semana em que comemora 193 anos, Ponta Grossa recebeu uma grande notícia. O Aeroporto Sant'Ana foi liberado para operar voos comerciais. A notícia levou a Azul Linhas Aéreas a abrir as vendas de passagens, na última terça-feira. Será possível voar diariamente para Campinas (Aeroporto Viracopos), em São Paulo, e vice-versa, a partir do próximo dia 13 de outubro.

Para o diretor de Planejamento da Azul, Daniel Tkacz, Ponta Grossa será incluída na rota da aviação. “Damos hoje um novo passo para colocar Ponta Grossa no mapa da aviação brasileira. Estamos lançando tarifas acessíveis e voos em horários convenientes para toda a população da cidade e de localidades próximas. Apostamos no sucesso desta rota, que conectará Ponta Grossa ao mundo”, diz.

Depois de quatro anos em obras, o Sant'Ana foi reinaugurado no último dia 30 de junho. Data em que a Azul Linhas Aéreas anunciou oficialmente a entrada em Ponta Grossa. Na ocasião, o Governador do Paraná, Beto Richa, afirmou que “Ponta Grossa tem demanda para voo comercial porque vive um novo momento de desenvolvimento sustentável e vigoroso”.

Para o secretário municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, Paulo Carbonar, a liberação do Sant'Ana pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para voos comerciais e a chegada da Azul estavam no foco da Prefeitura. “Fizemos este trabalho porque sempre acreditamos e sabíamos que estávamos fazendo tudo bem feito, que iríamos conquistar voos. Dependíamos de terceiros, mas sabíamos que o trabalho que o Município estava fazendo ia se concretizar", comemora o secretário.

Emprego

Até o momento, mais de 50 empregos já foram gerados no aeródromo, tanto através do Município quanto da companhia aérea. O número será ainda maior, uma vez que haverá serviços no local como lanchonete, posto de combustível, taxi, estacionamento, entre outros, todos em processo de licitações.


Sant’Ana terá primeiro voo comercial no próximo dia 13 de outubro

Foto: Arquivo

Voos possibilitam ganho de produtividade ao setor industrial

Para o diretor de Indústria da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (Acipg), Leonardo Puppi Bernardi, o início das operações da Azul representará um grande marco para a indústria dos Campos Gerais. “Após um novo período de forte Industrialização, um aeroporto com voos comerciais diários é imprescindível para deslocamento de executivos em nossas indústrias”, diz.

O diretor observa que embora sejam, inicialmente, dois voos diários, “pode-se viajar a uma grande quantidade de destinos a partir de Campinas, incluindo todas as regiões do Brasil, sete países da América do Sul e outros quatro continentes. Essa possibilidade de longos deslocamentos sem enfrentar a BR-277 e a BR-376 em direção a São José dos Pinhais, trará economia, segurança e principalmente ganho de produtividade aos executivos”, afirma.

Para o diretor, o setor hoteleiro local também tem a ganhar. “Passará a hospedar àqueles que embarcarão pela manhã, e que antes preferiam pernoitar em Curitiba para mitigar riscos de atraso. Esperam-se novos investimentos nessa área com o desenvolvimento da atividade aeronáutica”, observa. “A conquista do aeroporto é uma realidade, conseguida graças a um comprometido trabalho dos nossos políticos e técnicos, que será mais um forte argumento para atração de investimentos industriais à região”, completa.


Leonardo: “a conquista do aeroporto é uma realidade”

Foto: Arquivo

Sant’Ana está no planos do Governo Federal

Os planos para o Sant’Ana não param por aí. Em agosto, o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, confirmou que o aeroporto receberá, a partir do próximo ano, investimento do Governo Federal, o que o tornará apto a receber quatro Airbus 380 e cinco ATR (72 passageiros), hoje a capacidade é somente para dois ATRs.

Com investimento de mais R$ 40 milhões o aeroporto será totalmente ampliado, com o terminal de passageiros, por exemplo, chegando a dois mil metros quadrados. Hoje o espaço tem mil metros quadrados. A previsão é que a nova parte esteja pronta até 2020, conforme o cronograma do Governo Federal através do Plano Regional de Aviação Civil.