Economia

PG pode anunciar cinco novas indústrias, diz secretário Loureiro

Em visita recente à redação do jornal Diário dos Campos, o secretário de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional de Ponta Grossa, José Loureiro, informou que a equipe municipal está em contato direto com mais de cinco indústrias que estão projetando novos investimentos na cidade.

Segundo ele, quatro já estão em fase final de acerto, faltando apenas alguns detalhes para os anúncios oficiais. Por conta das negociações, ainda não é possível divulgar as marcas das empresas ou outras informações como investimento e quantidade de vagas de emprego que devem ser geradas, mas Loureiro adiantou os setores a que elas pertencem.

“Estamos em conversação com duas cervejarias, uma nacional e outra européia, que ainda não possuem unidades na região”, conta o secretário municipal, lembrando que hoje Ponta Grossa já conta com duas produtoras multinacionais – Kaiser/Heineken e Ambev – além de diversas microcervejarias instaladas. Outra das novas unidades que pode fomentar o setor de bebidas é uma fábrica de garrafas, que também atende ao setor de cervejas e pode integrar o mercado da área.

Nesta semana a equipe da secretaria municipal deve receber executivos de uma montadora de caminhões, que vêm à cidade para visitar o Distrito Industrial e conhecer os terrenos livres para a sua possível implantação. “Essa trabalha com a produção de caminhões pequenos e mais brutos, ‘6x6’, que carregam cargas pesadas. Eles fabricam bastantes veículos militares”, explica Loureiro.

Em um outro evento realizado nesta semana, o prefeito Marcelo Rangel disse que um dos investimentos deve ser de “nove dígitos” (ou seja, centenas de milhões de reais), mas não especificou qual deles.

Anúncios recentes

Na última semana a Prefeitura Municipal já anunciou outros dois grandes investimentos industriais que devem ser construídos no Distrito Industrial em breve. Um deles é a “Ecopainéis”, empresa que produz materiais pré-fabricados sustentáveis para a construção civil. Os executivos estiveram na cidade na segunda-feira (29), quando assinaram o protocolo de intenções que prevê R$ 33milhões investidos e a geração de trinta empregos diretos.

Já na sexta-feira passada (3) o secretário Loureiro revelou em entrevista ao Diário dos Campos que o grupo Madero está projetando mais R$ 600 milhões em duas fábricas: uma similar à Cozinha Central, unidade fabril já instalada na cidade, que deve funcionar como uma garantia à produção, e uma fábrica moveleira, para produzir o mobiliário dos restaurantes da marca. Junto aos outros investimentos já realizados na cidade, o montante geral deve chegar a R$ 1 bilhão.

Loureiro adianta que a cidade pode receber duas cervejarias, uma fábrica de garrafas e uma montadora de caminhões (Foto: Arquivo DC)