Polícia

PG registra apreensões de mais de 1,8 tonelada de entorpecentes

Boa parte das apreensões foi realizada pela PRF em rotas de passagem dos produtos ilícitos (Foto: Divulgação PRF)

A Secretaria de Estado de Segurança Pública e Administração Penitenciária (Sesp-PR) divulgou os números referentes às apreensões de entorpecentes registradas no Paraná em 2018. As estatísticas apontam que, no comparativo com o ano anterior, houve aumento nas apreensões de cocaína, crack e ecstasy na média estadual, enquanto que o volume total de maconha e LSD apreendidos teve redução. Já em Ponta Grossa, os dados demonstram aumento nas apreensões envolvendo quatro dos cinco tipos de drogas mencionados no documento.

De janeiro a dezembro de 2018, o município registrou a apreensão de mais de 1,8 tonelada de maconha, volume aproximadamente seis vezes maior que o registrado no mesmo período, em 2017. O volume de cocaína recolhido pelas forças de segurança na região saltou de 2,22 quilos para 13,61 quilos. O ecstasy apreendido foi de 590 comprimidos, em comparação com os 578 comprimidos em 2017. E o LSD, que em 2017 foi recolhido na quantia de 154 unidades, no ano passado registrou apreensão de 652 unidades.

Apenas a cocaína apresentou redução nas apreensões, indo dos 22,64 para as 12,31 quilos. O quantitativo de maconha é que surpreende, com a variação de aproximadamente 600% no período analisado. Boa parte desses materiais é resultante de grandes apreensões realizadas pela PRF em rotas usadas pelos traficantes para o transporte das substâncias ilícitas, graças a denúncias ou operações feitas em pontos estratégicos. Conforme antecipado em reportagem pelo DC em janeiro, cerca de 1,4 tonelada de maconha foi apreendida no ano passado pelos policiais rodoviários federais.

 

Outros municípios

Apesar de o volume ser elevado, outros municípios tiveram volume ainda maior. Cascavel, com 8,1 toneladas de maconha apreendida ficou no topo do ranking. A capital Curitiba registrou pouco mais de 6,7 toneladas da droga. No Paraná, o volume total de maconha recolhida reduziu de 114,4 toneladas para pouco mais de 100 toneladas. As estatísticas se referem ao boletim de ocorrência unificado, que inclui Polícia Civil e Militar.