Polícia

Polícia Militar forma grupo para mediação de conflitos em PG

Objetivo é evitar processos, investindo no diálogo
Oito policiais foram capacitados para atuação específica no Numec (Foto: Fábio Matavelli)

O 1º Batalhão de Polícia Militar (1º BPM) apresentou, durante solenidade nesta terça-feira (13), os oito policiais que foram capacitados para atuar no Núcleo de Mediação Comunitária da Polícia Militar (Numec). A equipe recebeu treinamento, graças a uma parceria com o Tribunal de Justiça do Estado do Paraná (TJPR) através do Centro Judiciário de Soluções de Conflitos (Cejusc).

O comandante do 1º BPM, tenente-coronel Leonel Beserra, explica que os policiais se voluntariaram a atuar nessa forma alternativa de atendimento às ocorrência e que, para isso, receberam um curso de 40 horas ministrado pelo Poder Judiciário. “Eles aprenderam técnicas próprias, além das que já conheciam para gestão de crise, para serem os primeiros mediadores em casos de conflito”, comentou, revelando que sua atuação se dará, principalmente, nos casos de perturbação de sossego.

Segundo o 4º CRPM, os casos de perturbação de sossego estão entre os principais motivos de ligação ao telefone 190 na região de Ponta Grossa. Não raro, a falta de diálogo entre as partes acaba exigindo encaminhamento à delegacia, e gerando fatos posteriores de gravidade maior, como ameaça, violência física e até homicídio. Com a criação do Numec, o objetivo é partir para uma nova forma de abordagem: a solução pacífica de conflitos.

O 2º vice-presidente do TJPR e presidente do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais (Nupemec), desembargador José Laurindo de Souza Netto, presidiu o evento desta terça. Ele destacou a iniciativa como uma alternativa no tratamento dos conflitos atendidos pela PM. “A solução de conflitos de forma consensual faz parte de um programa de políticas públicas do TJPR. Pela nova proposta, o policial militar é o primeiro agente facilitador da causa, o que pode não apenas fazer com que deixe de existir um processo [judicial], mas também auxiliar em um problema de fundo, que deu causa à ocorrência”, explica.

 

Alternativa

Para realizar os atendimentos, uma sala foi disponibilizada, na entrada do 1º BPM, no bairro Ronda. O atendente via 190, ao notar que a chamada se refere a caso passível de mediação, irá designar policial capacitado para o atendimento, o qual tentará estabelecer diálogo entre as partes e formalizar um acordo extrajudicial na sede do 1º BPM. A juíza Dra. Laryssa Angélica Copack Muniz, coordenador da Cejusc Ponta Grossa, vê com otimismo a criação do Numec. “Nos permitimos tentar algo novo para que as coisas aconteçam, também, de forma diferente”, disse.

 

Policiais mediadores:

- Anderson Luiz da Silva

- Cleverson Rafael de Matos

- Daniel Fabrício Martins Mesquita

- Edmilson Brandão

- Gilmara Hilgemberg

- Gustavo Henrique da Motta Batista

- Jefeter de Moraes

- Luiz Otávio Carneiro de Oliveira