Política

"Polícia precisa ser mais enérgica no combate ao crime organizado", aponta pesquisa

(Foto: Reprodução/Paraná Pesquisas)

Levantamento divulgado pelo Instituto Paraná Pesquisas nesta sexta-feira (11) aponta que 90,9% dos brasileiros concordam que a polícia precisa ser mais enérgica no combate ao crime organizado. 6,7% dos entrevistados responderam negativamente à pesquisa e 2,4% não souberam responder.

Para 54,1% dos entrevistados a polícia ser mais enérgica inclui matar previamente, sem abordagem policial, indivíduos que exibem armamentos pesados, como fuzis e metralhadoras. Para 41,2%, a percepção de uma polícia mais enérgica não inclui matar, sem abordagem policial, indivíduos, que exibam armamentos pesados. 4,7% dos entrevistados não souberam responder.

Os entrevistados também foram questionados sobre o endurecimento ou aumento das penas para autores de homicídios, estupros, sequestros e tráfico de drogas. Neste quesito, 91,3% dos brasileiros são a favor do endurecimento ou aumento de penas para quem comete estes crimes; 6% dos entrevistados são contra e 2,7% não souberam responder.

Além disso, 79,5% dos brasileiros são a favor da redução da maioridade penal de 18 para 16 anos; 17,8% são contra a redução e 2,7% não souberam responder.

Ainda segundo a pesquisa, 73,4% dos brasileiros são favoráveis que condenados que pertençam a organizações criminosas deixem de ter direito a regressão ou diminuição de pena entre outros benefícios; 23,3% são contra a medida e 3,3% não souberam responder.

Congresso

O Paraná Pesquisas ainda questionou os brasileiros sobre a prisão de condenados em segunda instância. Neste sentido, 79,4% dos entrevistados são favoráveis que o Congresso aprove a prisão de condenados em segunda instância; 14,1% são contra e 6,5% não souberam responder.

O Instituto ainda perguntou aos entrevistados a respeito do pacote de medidas anticorrupção a ser votado pelo Congresso. Neste quesito, a maioria dos entrevistados - 62,6% afirmou que não ouviu falar do pacote de medidas anticorrupção a ser votada pelo Congresso; 33,5% já tinham conhecimento e 4% não sabiam responder. Apesar disso, 80,4% dos entrevistados afirmaram aprovar as medidas anticorrupção; 12,3% desaprovam as medidas e 7,4% não souberam responder.

O Paraná Pesquisas realizou o levantamento com 2.006 pessoas, entre os dias 12 e 15 de dezembro, em 26 estados e Distrito Federal, abrangendo 148 municípios. A amostra tem margem estimada de erro de aproximadamente dois pontos percentuais para os resultados gerais e atinge grau de confiança de 95%.