Cidades

Ponta Grossa inicia campanha de vacinação contra H1N1

(Foto: Fábio Matavelli)

Começou nesta segunda-feira (23) a campanha de vacinação contra H1N1. Neste ano, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) realiza a aplicação das vacinas fora das Unidades Básicas de Saúde (UBS). O público-alvo, para a primeira etapa, são os idosos, acima de 60 anos, e os trabalhadores de saúde. Neste ano, a novidade é de que as vacinas serão aplicadas na rodoviária da cidade, semelhante do 'drive thru', onde as pessoas só podem ir de carro. 

Também haverá aplicação das doses no Parque Ambiental (Container da Saúde), onde as pessoas poderão ir a pé, e espaço saúde ao lado da UBS Egon Roskamp (Santa Paula). Ao todo, são 13 pontos de imunização.  

“A estratégia adotada para iniciar a campanha foi de extra muro, ou seja, utilizando locais próximos das UBS, além de outros pontos de apoio. Nós consideramos que as UBS com sala de vacina não iriam comportar esta campanha frente ao risco aumentado para o Coronavírus nesta população, também sabemos que estarão atendendo muitos pacientes sintomáticos respiratórios”, explica a enfermeira, Daniele Fabian.

De acordo com dados oficias da Prefeitura cerca de 32.900 idosos e 8.437 trabalhadores da saúde deverão se imunizar na primeira fase. Todos os pontos vacinarão de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h. “Em todos os lugares que haverá vacinação terá uma equipe técnica orientando a população e organizando os idosos de maneira que todos fiquem distanciados, no mínimo 1,5 metros”, comenta.

Toda pessoa com 60 anos ou mais, deverá portar documento de identificação oficial com foto e carteira de vacina, já os trabalhadores de saúde deverão estar munidos de documento oficial com foto, carteira de vacina e comprovante de vínculo ou identidade profissional. “Estamos tomando todas as medidas necessárias para imunizar o grupo de risco. É importante que a população alvo seja consciente e procure os locais para se vacinar e prevenir contra a gripe”, destaca Daniele.

Riscos 

No ano passado, a gripe H1N1 matou 1109 pessoas no Brasil e, entre as vítimas fatais, estão idosos com doenças crônicas. A vacina de combate ao vírus fortalece o sistema imunológico dos grupos de risco.