Cidades

Ponta Grossa não tem lugar para os indígenas

População pede solução em imóvel de Uvaranas
Casa em Uvaranas é usada como abrigo, mesmo sem indicação do município (Foto: Fábio Matavelli)

“O município não tem, neste momento, oficialmente uma Casa destinada a essa população”, informou a prefeitura de Ponta Grossa, como parte da resposta aos questionamentos feitos pelo Diário dos Campos a respeito de imóvel que, por anos, foi chamado de Casa do Índio. Trata-se de uma moradia localizada ao lado do colégio estadual General Osório, em Uvaranas.

Moradores do entorno entraram em contato com o jornal, questionando quais políticas públicas são adotadas no local, habitualmente cercado por lixo. A reportagem esteve no imóvel e conversou com alguns dos indígenas. Um deles, de 23 anos, revelou que diversas tribos passam pela cidade, oriundas de Ivaí, Cândido de Abreu e da região de Reserva. “A gente vem, fica 15 dias, volta pra tribo, e troca de lugar com outros”, comentou o rapaz, sem permitir a entrada da equipe na casa.

Mesmo sem entrar, é possível notar que a estrutura do imóvel está bastante comprometida, diferente de como ficou logo após a reforma, em 2010. O estado da moradia, com vidros quebrados e ligações elétricas improvisadas, somado a um terreno cercado por brinquedos velhos, roupas sujas e restos de comida, causa transtorno aos vizinhos.

A comerciante Luciane Nunes, diz que a água suja costuma escorrer pela rua até a avenida General Carlos Cavalcanti. “Além disso, eles fazem fogo, e a fumaça espalha o cheiro de tudo que eles acabam queimando. Eu acho que a prefeitura deveria fazer limpeza mais frequente na casa. A última foi há cerca de três meses”, diz.

 

Sem endereço

Mas a prefeitura informa que o imóvel não é, há tempos, indicado para a permanência dos indígenas. Em 2016, o município disponibilizou um outro imóvel para essa finalidade, no Jardim Carvalho, mas o local passa por reformas e não pode ser usado até a conclusão das obras. “A previsão é de reabertura para início de dezembro. Nesse tempo, os indígenas têm usado o imóvel localizado em Uvaranas, mas que a prefeitura não indica, devido às condições insalubres e inadequadas em que a casa se encontra”, informou a assessoria de imprensa da prefeitura.

 

Prefeitura irá fornecer refeições

De acordo com a prefeitura, devido ao seu modo de vida itinerante, não se sabe quantos são os indígenas que vêm ao município,. O que se percebe é que, no final do ano, essa população aumenta. A previsão é que no início de dezembro a reforma do imóvel no Jardim Carvalho esteja concluída, e no local haverá uma casa de passagem. Aos indígenas serão dados tickets alimentação entregues através do Centro POP, para uso no Restaurante Popular – os indígenas afirmam que sua maior dificuldade no município é para conseguir alimentação. Quanto à limpeza do imóvel em Uvaranas, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente incluiu na agenda de limpeza e na sequência deve efetuar o serviço, mas não informou com que periodicidade isso será refeito.