Cidades

Ponta Grossa registra queda nos casos de vandalismo

Casos de vandalismo contra o patrimônio público, em especial, unidades de saúde e escolas municipais, apresentaram redução em comparação com o ano passado
(Foto: Fábio Matavelli)

Os boletins de ocorrência registrados junto à Guarda Municipal, relacionados aos casos de vandalismo contra patrimônio público, em especial, unidades de saúde e escolas municipais, apresentaram redução em comparação com o ano passado.

Dados repassados pela Secretaria Municipal de Educação mostraram que em 2018 foram confeccionados 104 boletins relacionados a furtos, invasões ou tentativas de invasões ao longo daquele ano nas escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis). Destes, 28 registraram prejuízos significativos para as escolas como furtos de equipamentos, fiação elétrica, merenda escolar, botijões de gás e depredação de vidros. Os gastos do Município para reparar os danos foi de aproximadamente R$ 160 mil.

De acordo com a Educação, os casos mais graves estavam relacionados ao furto de cabos de energia elétrica das escolas e Cmeis. Cada reposição desta fiação, segundo a pasta, somada à mão de obra, custa cerca de R$ 15 mil. Apesar do prejuízo, neste ano, os casos de vandalismo nas escolas apresentaram redução. De janeiro a junho, foram registrados apenas 12 ocorrências nas instituições de ensino.

A secretária de Educação, Esméria Saveli, aponta que os motivos desta queda estão ligados ao aumento do monitoramento e vigilância, além da conscientização da comunidade.

"Os nossos principais aliados nessa luta, contra o vandalismo e os furtos nas escolas, são os próprios moradores das comunidades. Nossos professores, com as crianças, e as diretoras, em conversa com pais e comunidade, estão em contato permanente para sensibilizar e conscientizar a todos sobre a importância de manter a vigilância sobre os Cmeis e escolas. Uma comunidade mobilizada para preservar a escola é o caminho para reduzir esses casos”, disse Esméria.

Foto: Fábio Matavelli

 

Saúde

Os casos de vandalismo nas unidades de saúde (UBS) de Ponta Grossa também apresentaram redução. Dados repassados pela Secretaria Municipal de Segurança Pública apontaram que em 2018 foram registrados 30 casos envolvendo arrombamentos, danos, furtos, invasão e tentativa de arrombamento, gerando um prejuízo de R$ 65 mil aos cofres públicos.

O valor gasto foi para a compra de novos equipamentos e reparos na estrutura das unidades. Neste ano, foram sete casos, até o momento. Apesar da queda, a Fundação Municipal de Saúde já precisou gastar R$ 25 mil para reparar os danos.

"Já tivemos 12 computadores furtados neste ano e isso é um prejuízo enorme, pois precisamos fazer licitação para comprar novos. Mesmo com os prejuízos, a Fundação tem melhorado a segurança nas unidades com a implantação de grades, cadeado duplo nas portas, entre outras ações. A comunidade também tem nos ajudado muito com as denúncias à Guarda Municipal", disse o médico Rodrigo Manjabosco, secretário-adjunto da Fundação de Saúde.

Segurança

O secretário de Segurança Pública, Ary Lovato, destaca um importante trabalho que vem sendo realizado no combate ao vandalismo, furtos e pichações em prédios públicos, através da definição de estratégias específicas e reforço do patrulhamento nas regiões próximas a estes locais.

"Buscamos conscientizar a população do papel de cada um na manutenção do bem público e na importância de se denunciar, não só as ações suspeitas, mas também os responsáveis e, no caso de furto,os receptadores desses produtos para que pudéssemos promover a prevenção e o combate à esses crimes de forma ampla", aponta.

Como complemento dessas ações, Lovato também destaca as operações ostensivas coordenadas e integradas nos bairros e na região central através da Operação Saturação e a Operação Praça Segura. "O resultado tem sido muito positivo e perceptível, não só por nós, mas por toda a população", comemora.

Denuncie

A Secretaria de Segurança solicita aos cidadãos para que contribuam com o trabalho da instituição denunciando qualquer ação suspeita através do número 153.