no

Ponta Grossa se aproxima de pior cenário da covid, diz pesquisa

Ponta Grossa se aproxima do pior cenário previsto para a evolução da covid-19, segundo estudo realizado por pesquisadores da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). O Modelo Preditivo de Covid-19 para Ponta Grossa é uma análise cujos primeiros resultados foram apresentados ainda em maio, mas que só na última semana foi publicada em revista científica.

Os resultados, obtidos tendo por base os dados disponibilizados pela Secretaria de Estado de Saúde, apontavam três possíveis cenários para o avanço da doença. No melhor cenário, a cidade ficaria entre 700 e 950 casos, com pico entre 10 e 24 de julho. No cenário intermediário, seriam 2.645 a 3.590 casos, com pico entre 28 de julho e 4 de agosto. No pior cenário, a cidade teria 3.713 a 5.039 casos, com pico entre 28 de julho e 4 de agosto.

A cidade chegou a 1.666 casos nesta quinta-feira (6). Segundo Camila Martins, uma das seis pessoas envolvidas na pesquisa, isso aponta que o município está mais perto do pior cenário. “Estaríamos entre o cenário intermediário e o pior cenário. Provavelmente, vivemos sim o pior momento. Nos últimos dias, a média móvel se manteve bem próxima. Variou entre 35 e 40. Esperamos estar atingindo uma estabilidade, mas ainda não dá para definir”, diz.

O modelo não considera simulações associadas a abertura e fechamento de comércio e outras ações relacionadas à economia. Além disso, são números baseados em dados colhidos até 3 de maio. Em três meses, podem ter ocorrido mudanças não mensuradas capazes de alterar as previsões.

Além de Camila Martins, participam da pesquisa Ricardo Zanetti, Erildo Muller, Pollyanna Borges, Carlos Coradassi e a aluna Eduarda Montiel.

Média móvel

Conforme levantamento feito pelo Diário dos Campos, a partir dos boletins municipais diários da covid-19, a média móvel de casos ficou entre 34 e 47 nos últimos 15 dias. Apesar da oscilação, o gráfico mostra que a média está em crescimento.

A média móvel é obtida realizando a soma de casos verificados em um dia e nos seis dias que o antecederam. Em seguida, o resultado é dividido por sete. O valor apresenta um parâmetro mais real da evolução de casos, porque reduz a variação ocasionada pelo represamento de resultados laboratoriais, por exemplo.

Média móvel em Ponta Grossa

Dia Média

23/07 35,4

24/07 37,2

25/07 35,7

26/07 41,8

27/07 43

28/07 41,7

29/07 34,1

30/07 39,2

31/07 39,1

01/08 39,1

02/08 34

03/08 37

04/08 40

05/08 46,4

06/08 42,4

 

Fonte: Boletim da covid-19 da FMS

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

CAIXA abre agências em Ponta Grossa, Irati e Telêmaco Borba neste sábado

Homem é preso por receptação em rodovia de PG