Geral

Prática de esportes auxilia no maior rendimento escolar, diz especialista

Se você acha que apenas estudar o tempo todo pode render um melhor aprendizado, você pode estar enganado. Estudos mostram que é mais rentável aliar horários de aprendizagem a prática de esportes.

Uma pesquisa realizada recentemente pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, mostrou que os estudantes que praticam esportes regularmente têm um rendimento escolar 20% maior do que os outros alunos. Isso porque os exercícios físicos ajudam a aumentar a concentração, fixando melhor o conteúdo estudado. Além disso, o esporte colabora para o convívio social, autoestima, pré-disposição, diminui a ansiedade, melhora a memória e as noites de sono.

Segundo Fabrício Cortezi, coordenador pedagógico do Sistema de Ensino pH, cada aluno tem seu próprio rendimento, e intercalar os estudos com o esporte pode proporcionar maior disposição. “O aluno deve levar em consideração a hora em que rende menos para encaixar uma atividade física que possa desligar a mente e manter o corpo funcionando. O legal do esporte é poder se despir da mente e exercitar o corpo, assim você tem mais disposição para estudar depois”.

Uma publicação feita pelo Journal of Pediatric Psycology, da Academia de Oxford no Reino Unido, relevou que o esporte proporciona um alívio em períodos de tensão como provas escolares, vestibulares, apresentação de trabalhos ou até em entrevistas de emprego. A prática regular de exercícios causa a liberação da beta-endorfina no corpo, substância responsável pela sensação de prazer e bem-estar.

O material do Sistema de Ensino pH estimula o aluno a praticar atividades físicas, de acordo com o coordenador: “o estudante estuda sobre os benefícios do esporte na parte de biologia, na ciência, na física e também em alguns textos de redação das aulas de português”, diz Cortezi. “A Educação Física está dentro do ensino das linguagens como uma grande área de conhecimento, então sempre que possível nós buscamos relacionar a qualidade de vida das pessoas que inclui a boa alimentação e as atividades físicas”.

Quanto ao resultado na prática, Fabrício Cortezi afirma que é notável a melhoria do rendimento dos alunos após fazer exercícios físicos: “Já peguei turmas em que eu dava aula logo após a Educação Física, eles prestavam mais atenção na disciplina e eram mais participativos; os alunos têm a oportunidade de sair do lugar comum que é a sala de aula e conseguem desligar a mente para voltar mais concentrados e interessados pelos outros conteúdos”, conclui.

 

Moderação

Mas a prática de exercícios físicos também deve ser balanceada. Segundo a Organização Mundial da Saúde, OMS, crianças e adolescentes de 5 a 17 anos devem praticar pelo menos 60 minutos de exercícios moderados ou vigorosos diariamente para melhorar a aptidão cardiorrespiratória e muscular, a saúde óssea, cardiovascular e metabólica.

(Foto: Divulgação)