Cidades

Prefeitura articula parcerias para restaurar Maria Fumaça

Exército ofereceu mão de obra para realizar restauro e Secretaria de Administração está buscando mais parceiros para obter material necessário
(Foto: Divulgação)

A Prefeitura de Ponta Grossa, através da Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos (SMARH), está articulando parceiros para realizar a restauração da locomotiva 250, mais conhecida como Maria Fumaça. O comando do 13º Batalhão de Infantaria Blindado (13º BIB) está oferecendo mão de obra qualificada para restauro da locomotiva, enquanto a Prefeitura vai articular mais parcerias para garantir o material necessário ao reparo.

“O Exército sempre foi nosso parceiro e se propôs, com a expertise que possuem na manutenção de blindados e grandes veículos, a realizar a manutenção da nossa Maria Fumaça. Agora estamos articulando outros parceiros para obter os materiais necessários e todos serão prestigiados com o reconhecimento por esse restauro, por contribuir com a manutenção do patrimônio histórico de Ponta Grossa. Vamos colocar no local uma placa para que todos saibam quem foram os parceiros nessa ação”, explica o secretário de Administração e Recursos Humanos, Ricardo Linhares.

A locomotiva faz parte do acervo da Casa da Memória e está instalada na antiga plataforma de embarque e desembarque de passageiros da então “Estação Paraná”, e depois Rede Ferroviária Federal. Mas a Maria Fumaça de Ponta Grossa vem sofrendo com a ação do tempo e de vândalos nos últimos anos.

“Nosso comandante, Coronel Marques, em passagem pelo Parque Ambiental, viu a necessidade de restauração e se comprometeu a colaborar com a Prefeitura nessa ação para recuperar esta peça, que é um monumento da cidade. Sabemos que não será um trabalho rápido, pelas condições da locomotiva, mas já realizamos o levantamento dos materiais necessários e esperamos ver a Maria Fumaça em melhores condições o quanto antes”, explica o subtenente Júlio César de Brito Flores, Chefe de Comunicação Social do 13º BIB.

A locomotiva 250 entrou em atividade no ano de 1940 e realizava viagens alternando entre passageiros e cargas. Foi utilizada na construção da Estrada de Ferro Central do Paraná, que ligava Ponta Grossa a Apucarana, sendo substituída apenas em 1972 por máquinas a diesel, mais potentes. Permanece exposta no Parque Ambiental desde a década de 90.

“Trata-se de um símbolo da história da nossa cidade. Se não houvesse ferrovia, Ponta Grossa talvez não tivesse hoje a importância que tem na região e no estado. A Maria Fumaça é patrimônio da nossa cidade e restaurada terá recuperada sua imponência, como um belo cartão postal na região central da cidade”, aponta Linhares.