Find!

Projeto verão: emagrecer com saúde é a melhor tendência

(Foto: Fábio Matavelli)

O verão e o final do ano se aproximam. A temporada de férias, praia, piscina, biquínis, sungas e maiôs está chegando. Nessa época, com a despedida do frio e a chegada da estação mais quente do ano, é comum algumas pessoas voltarem mais os olhos para os próprios corpos e começarem a se preocupar com a forma física.

Há sempre aqueles que, na esperança de conseguir resultados mais rápidos, aderem a dietas radicais e treinos muito pesados para emagrecer ou ganhar a forma desejada. Não é errado querer promover mudanças no próprio corpo para elevar a autoestima e sentir-se bem. Porém, os riscos de algumas atitudes desesperadas para obter o corpo considerado ‘ideal’, podem acabar sendo prejudiciais para a saúde e trazer resultados pouco eficientes, que não se mantém a longo prazo.

A nutricionista Mariana Chiossi Tsuneto ressalta que o melhor caminho para a perda de peso é manter uma alimentação equilibrada, que dê ao corpo todos os nutrientes necessários, sem privações. Além disso, é importante procurar um profissional que investigue os alimentos que fazem mal para a pessoa, com um tratamento individualizado que apresente os melhores resultados para cada organismo. Confira a entrevista completa sobre o assunto com a profissional:

 

Diário dos Campos - Quais os principais erros que as pessoas cometem na tentativa de perder peso mais rápido?

Mariana Tsuneto - Na tentativa de perda de peso rápida, a pessoa não melhora a causa do excesso de peso que ela tem, esse emagrecimento é mais superficial. Então, na maioria das vezes, a pessoa não perde gordura corporal e sim, massa muscular, líquido corporal. Mais importante que o peso é a composição corporal da pessoa e isso se avalia através da bioimpedância. Portanto, para tratar a causa do excesso de peso a pessoa precisa realmente modificar o estilo de vida, porque na maioria das vezes, vejo isso tanto na prática clínica como em estudos, dieta é passageira e gera muita frustração. Outro erro é ter o pensamento limitante de emagrecer porque o verão está chegando, na realidade a saúde e cuidados com o corpo não devem ter prazo de validade e se limitarem a uma estação do ano. Se você gerar saúde e tiver uma alimentação natural durante o ano todo isso sim vai gerar o peso desejado, além de saúde e bem-estar.

 

DC - Sobre mudanças radicais na alimentação: qual o perigo de aderir a ‘dietas milagrosas’ e porque elas não funcionam a longo prazo?

M.T. - Dietas já são coisas do passado, as pessoas fazem verdadeiras loucuras para perder peso, mas muito mais valioso do que contar calorias, é conhecer como os alimentos se relacionam com nosso corpo e quais geram saúde e boa aceitação por parte do nosso organismo. A grande maioria das dietas restringem gorduras boas, carboidratos bons, muitas frutas e vegetais, que apresentam vários nutrientes bons e isso é muito ruim, tremendamente ruim. Dietas desse tipo prejudicam diretamente nosso equilíbrio hormonal, mandando ao corpo severos alertas de sobrevivência para que armazene gordura e reduza o ritmo do metabolismo. E assim esse padrão de sobe e desce de peso não é apenas frustrante, mas também torna cada nova tentativa de perda de peso ainda mais decepcionante que a anterior, especialmente se a pessoa perde peso fazendo o corpo passar fome.

 

DC - Quais dicas você dá para quem deseja emagrecer rapidamente e com saúde?

M.T. - O caminho mais feliz para perder peso com saúde é aquele que você sente resultados de dentro para fora do corpo, o seu corpo mostra mudanças positivas já no início, melhorando o inchaço, desconforto abdominal, cansaço, intestino (seja preso ou solto). Um sentimento que os pacientes me relatam muito é alegria. Eles sentem uma alegria e muita disposição que antes não tinham.

 

DC - Para perder peso, existem alimentos que devem ser banidos completamente do cardápio ou é possível continuar alimentando-se de tudo, contanto que haja equilíbrio?

M.T - Tudo vai depender de cada pessoa, é muito importante ao cuidar da alimentação de um paciente observar o que ele sente quando consome determinado tipo de alimentos, quais sinais eles apresenta como dores de cabeça, inchaço, fadiga e avaliar na alimentação dele o que ele ingere que está contribuindo para esses sintomas. Com isso, traçamos juntos estratégias que farão bem para ele.

 

DC - Para as pessoas que praticam atividades físicas, quais alimentos são mais indicados para o pré e pós treino?

M. T - Para atividade física essa indicação também é muito individual, tem que ser avaliado horário de treino e com quais alimentos a pessoa se sente melhor, antes e após os treinos.

 

DC - E no caso das pessoas que possuem dietas restritivas: celíacos, veganos, vegetarianos, etc. Existe uma dificuldade ou facilidade maior em perder peso?

M.T - Sabe-se que hoje muitas pessoas culpam a genética pela dificuldade de emagrecer, mas estudos mostram que os genes representam apenas 30% de contribuição e 70% é relacionado a alimentação, estilo de vida e prática de exercícios. Todos saímos do mesmo nível, o que acontece é que as vezes uma pessoa foi ganhando peso ao longo dos anos pela forma que ela cuidou do corpo dela, excesso de dietas, alimentação inflamatória, ela foi prejudicando o corpo por más escolhas alimentares ou até mesmo falta de conhecimento sobre a verdadeira alimentação.