Economia

Reestruturação da Caixa atinge PG

Banco deve mudar estrutura em todo o país e alterações devem abranger Ponta Grossa

A Caixa Econômica irá passar por um processo de reestruturação interna, mexendo na estrutura do banco em todo o país. Entre as possíveis alterações, estão mudanças nas superintendências regionais, o que poderia afetar Ponta Grossa.

O plano de reestruturação da Caixa prevê que das 84 atuais superintendências regionais no país, 30 delas deixariam de existir. Na Paraná, a previsão seria que das atuais seis superintendências, três permaneceriam: Curitiba, Londrina e Cascavel. Maringá, Ponta Grossa e uma segunda regional de Curitiba seriam suprimidas.

Em contrapartida, a reestruturação da Caixa Econômica prevê que Ponta Grossa passe a contar com três superintendências executivas, nova estrutura que deve ser criada no banco. Destas superintendências executivas, duas delas seriam para atender exclusivamente a Ponta Grossa e municípios mais próximos; a terceira ficaria responsável por Guarapuava e cidades da região.

As mudanças na Caixa Econômica preveem que as superintendências regionais se transformem em superintendências de rede, e em todo o país 400 superintendências executivas devem ser criadas.

A assessoria da Caixa Econômica em Ponta Grossa informou que ainda não há um posicionamento oficial a respeito destas eventuais mudanças. A reestruturação proposta pela Caixa Econômica se dará em âmbito nacional, e os propósitos do presidente Pedro Guimarães é modernizar e tornar o banco mais competitivo e promover a capilarização dos atendimentos nos municípios; a Caixa afirma que as alterações não iriam afetar o atendimento.

Histórico

A superintendência da Caixa Econômica em Ponta Grossa atende a 67 municípios e foi criada em 2011. Em 1998 a cidade deixou de contar com uma superintendência, e em 2009 movimentos da sociedade iniciaram uma reivindicação pela volta de uma regional da Caixa para Ponta Grossa e os Campos Gerais, pedido que foi atendido dois anos mais tarde.