Economia

Região acumula 4,3 mil novas vagas de emprego formais

Geração de postos de trabalho nos Campos Gerais é 13,5% maior neste ano em comparação a 2018; setor de serviços é o responsável por puxar a alta
(Foto: Fábio Matavelli)

Nos primeiros dez meses deste ano a região dos Campos Gerais criou 4.327 novos postos de trabalho com carteira assinada, 13,5% a mais do que o registrado no mesmo período do ano passado. O levantamento foi feito pelo jornal Diário dos Campos com base nas informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), relatório publicado pelo governo federal que calcula o saldo de empregos formais subtraindo as demissões das admissões registradas em cada município brasileiro.

Das 23 cidades da região, apenas seis registraram saldo negativo, que aponta a extinção de vagas formais: Imbaú (-50), Palmeira (-50), Porto Amazonas (-79), Reserva (-49), Teixeira Soares (-26) e Ventania (-25). Entre as com maior destaque estão Ponta Grossa, que segue na liderança com +1.173, seguida de Ortigueira (+994), Jaguariaíva (473), Telêmaco Borba (+374) e Castro (310).

Considerando os números por setor, o que puxa o estoque de empregos é o de serviços, com 1.957 novas vagas. Na sequência, figuram a construção civil (1.499), o comércio (955), a administração pública (191) e os serviços industriais de utilidade pública (como limpeza urbana e distribuição de saneamento básico, eletricidade e água, por exemplo), com +69. Registraram, nesse ano, a extinção de vagas a extração mineral (-15), a agropecuária (-135) e a indústria de transformação (-194).

Comparação

Juntos, os municípios dos Campos Gerais criaram 514 empregos a mais em 2019 do que em 2018, considerando os dez primeiros meses de cada ano. Comparando os resultados dos mesmos períodos de cada ano a construção civil é o setor que teve a melhor alta, gerando 1.891 vagas a mais em 2019. Além dela, também tiveram um melhora o comércio, com 511 postos de trabalho a mais, os serviços industriais de utilidade pública (+30) e a extração mineral (+16).

Já a outra metade de setores citados no relatório do governo federal registrou uma queda na oferta de empregos, sendo a maior na indústria (-1.143). Os serviços criaram 716 vagas a menos neste ano, enquanto que a agropecuária teve uma baixa de 340 e a administração pública -14.

Entre as 23 cidades da região, apenas sete tiveram resultados melhores neste ano – porém, apesar do número baixo, pelo menos três deles foram bem significativos. Em relação ao mesmo período de 2018, Ortigueira ampliou sua oferta em mais 629 vagas, Piraí do Sul em 560 e Carambeí em 443. Imbituva, Tibagi, Ivaí e Ipiranga registraram incrementos de, respectivamente, 63, 60, 19, 13 novos empregos.