Paraná

Região deve ter novas medidas contra covid-19

Com o aumento considerável de casos de Covid-19 nos últimos dias, a região dos Campos Gerais deve contar com novas medidas de contenção do vírus nesta semana.

O aumento do isolamento social deve ser primordial para conter a propagação. "Este é o pior momento da pandemia na região. Por isso é importante alinharmos as ações", explicou o presidente da Associação dos Municípios dos Campos Gerais (AMCG) e prefeito de Jaguariaíva, Juca Sloboda. Gestores da Associação, bem como representantes das 3ª e 21ª  Regionais de Saúde e o secretário estadual da Saúde, Beto Preto, participaram na tarde da última sexta-feira de uma webconferência para traçar um panorama da doença nos Campos Gerais e definir as próximas ações.
"Temos que interferir no ciclo de contaminação da doença estimulando o isolamento domiciliar", avalia o secretário Beto Preto. Até o final da tarde de quinta-feira, os 19 municípios da AMCG contabilizavam 824 casos confirmados da doença, além de 10 óbitos.

"Somente em Ponta Grossa de 7 a 14 de junho houve um aumento de 48% dos casos", apontou o chefe da 3ª  Regional de Saúde Robson Xavier, destacando a importância de ações conjuntas nos municípios. Apesar das centenas de casos, estudos indicam que na região mais de sete mil pessoas já devem ter sido contaminadas.
A quantidade e ocupação dos leitos de UTI nos Campos Gerais foi outro ponto abordado na reunião. Em todo o Paraná são 757 leitos, 474 deles ocupados, o que  equivale a 63% deles. Já os leitos de enfermaria totalizam 1.181, sendo 494 ocupados, ou seja, 42%. Nos Campos Gerais, a ocupação é de 62%, com 69 dos 110 leitos de UTI ocupados. "Mesmo com o Governo do Estado aumentando o número de leitos, se as pessoas não se conscientizarem, o sistema irá se esgotar", aponta assessor especial da Sesa, Geraldo Biesek.

O secretário de Estado da Saúde revelou ainda a dificuldade de contratação de equipes de saúde para atendimento na UTI e de compra de medicamentos para sedação de pacientes.
Sobre a ocupação de leitos, o secretário Beto Preto destacou que a situação pode ficar crítica nos próximos dias. "Com 50% de isolamento conseguiríamos passar pelo vírus sem esgotamento da saúde, mas hoje estamos em torno de 35%, o que pode esgotar os leitos de UTI de Curitiba", revela.


Com o esgotamento de leitos de UTI em Curitiba, as demais regiões do Estado podem começar a receber pacientes da capital e região metropolitana. "O Estado é dividido em macrorregiões pela questão de organização. Mas como falamos de Sistema Único de Saúde (SUS), todos os pacientes tem direito a atendimento, independente da região", explica o assessor especial da Sesa. 


A situação dos Campos Gerais, conforme a Secretaria de Estado, apesar de contar com aumento significativo de casos de Covid-19 nos últimos dias, não é muito crítica. "Há regiões, como a de Cascavel, que entraram em alerta vermelho. Com pouco mais de 300 mil habitantes, há mais de dois mil casos de covid", aponta Biesek, relatando hoje 67 surtos da doença no Estado, provocado por aglomerações indevidas, como reuniões religiosas e festas clandestinas, por exemplo.


Decreto


As novas medidas que serão adotadas pelos municípios da AMCG devem seguir decreto que está sendo debatido no Governo do Estado do Paraná e deve ser publicado na próxima terça-feira. "Devemos fazer adequações para a região, mas temos que tomar medidas para conter a doença e evitar o colapso do sistema de saúde", finaliza o presidente da Associação.