Economia

Região está entre os 100 maiores do país na produção agrícola

As cidades da região dos Campos Gerais se destacaram na produção agrícola nos últimos anos e por isso aparecem entre os municípios do Brasil que mais cresceram o Produto Interno Bruto (PIB) por conta do cultivo na agricultura. Um levantamento com base no valor nominal do PIB de 2016 revelou que 82% dos municípios brasileiros classificados como os maiores produtores da agricultura tiveram crescimento nominal superior à taxa anual do PIB do país, que foi de 4,4 % entre 2014 e 2016.

Quando isolados os 100 maiores produtores agrícolas, o crescimento médio foi de 9,81%, no período. Esses municípios respondem por 7,2% do PIB do país e por 27,5% do Valor Bruto da Produção (VBP Lavouras).

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o ranking onde aparecem as 100 cidades que mais se destacaram nesse setor no cálculo do PIB de 2014-2016 e as cidades de Tibagi e Castro então classificadas na lista. O município de Tibagi ficou em 50° lugar e Castro na 64ª posição. As cidades paranaenses Guarapuava e Cascavel também aparecem no ranking.

A economista do Departamento de Economia Rural (Deral), Vera Silvestre, analisa que esse crescimento no PIB é consequência de uma série de fatores. “Muitas cidades da região começaram a investir na agricultura nos últimos anos e os números do PIB só confirmam que estamos no caminho certo dessa estruturação de produção agrícola. Acredito que os próximos anos terão um crescimento ainda maior”, acrescenta.

A economista revela que boa parte do crescimento do PIB de Castro é por conta da produção da Castrolanda. A cooperativa é formada por 877 cooperados e 3.153 colaboradores e tem 2,91 bilhões de faturamento anual. Os agricultores produzem anualmente 42,6 mil suínos, além de 554 toneladas de grãos, 33 toneladas de sementes, 319 mil litros de leite e 52 toneladas de batata. A Castrolanda está em fase de ampliação das fábricas nas cidades da região dos Campos Gerais e em 2019 deverá ampliar a estrutura em Castro e Piraí do Sul.

Já a cidade de Tibagi é reconhecida por ser a maior produtora de soja e trigo do Paraná. “Os agricultores têm um potencial muito forte no município e se destacam não só no estado e também no país. São gerados milhares de empregos e renda e isso tem um retorno grande na economia da cidade”, comenta Silvestre.

Percentuais

O Núcleo de Economia Regional e Políticas Públicas (NEREPP) da Universidade Estadual de Ponta Grossa detalhou os percentuais que as cidades da região cresceram ou diminuíram na produção agrícola no PIB de 2016. O estudo revela que o setor da agropecuária, que teve um crescimento de 9% no Paraná, também cresceu fortemente na região, com uma aceleração de 7%, isso significa que dinamismo especialmente do setor industrial associado a um setor agropecuário forte, foram fundamentais para que a região tivesse um crescimento expressivo da sua economia.

Entre as 19 cidades da região pesquisadas, apenas seis apresentaram uma queda na produção do Valor Adicionado (VA) da agricultura: Arapoti, Ipiranga, Ivaí, Jaguariaíva, Piraí do Sul e São João do Triunfo. Os outros municípios registraram aumento no VA de produção agrícola: Carambeí (10,3%), Castro (5,3%), Curiúva (28,4%), Imbaú (57,7%), Ortigueira (4,4%), Palmeira (12,9%), Ponta Grossa (14,7%), Porto Amazonas (4,6%), Reserva (9,3%), Sengés (65,1%), Telêmaco Borba (13,2%), Tibagi (9,9%), e Ventania (14,7%).

Castrolanda é uma das empresas responsáveis por investimentos na produção agrícola na região (foto: Arquivo DC)