Economia

Região tem potencial de consumo de R$ 21,7 bilhões

R$ 1,35 bilhão deve ser gasto a mais em relação a 2018; manutenção do lar é a categoria destaque

Neste ano a região dos Campos Gerais pode consumir R$ 21,7 bilhões, R$ 1,35 bilhão a mais do que o potencial estimado no ano passado. Os dados estão presentes no estudo publicado anualmente pelo instituto de pesquisa IPC Marketing Editora, que calcula os índices nacionais com base em dados oficiais.

O aumento corresponde a 6,67% de um ano para o outro, porém, se considerada a inflação- base de 3,89%, o crescimento real é de 2,78%, resultado ainda positivo para a população de 978.242 pessoas apontadas na pesquisa – destas, 80% são da área urbana, e correspondem a 88,59% do potencial de consumo total. Calculando-se o consumo per capita anual, o urbano fica com R$ 23,8 mil (quase R$ 1.250 a mais do que em 2018) e o rural com R$ 15,5 mil (R$ 1.297 superior ao ano passado).

Ainda considerando-se o perfil populacional, na área urbana a classe C é quem puxa o cenário de consumo nos Campos Gerais, representando 41,2% de todas as categorias. O resultado é diferente do ano passado, quando a classe B se destacava, porém vai de encontro à maior quantidade de domicílios, já que 52,5% do total de 263,4 mil registrados pertencem à classe econômica C.

Já entre as categorias de produtos, se destacam, na seguinte ordem: manutenção do lar (R$ 4,86 bi), “outras despesas” (R$ 3,71 bi), alimentação no domicílio (R$ 2,13 bi), materiais de construção (R$ 1,3 bi) e gastos com veículo próprio (R$ 1,01 bi). Nos menores potenciais de consumo indicados estão livros e material escolar (R$ 82,89 milhões) e fumo (R$ 88,79 milhões), que pela classificação inversa ficam atrás apenas de “outras despesas de vestuário”, citada além da categoria de vestuário confeccionado.

Ponta Grossa é responsável por 40,17% do total regional

Mesmo com uma alta de R$ 50,19 milhões em relação ao ano passado, chegando a um potencial de consumo de R$ 8,72 bilhões em 2019, quando se subtrai a IPCA de 3,89% Ponta Grossa não registra crescimento real neste ano, ficando com uma diferença de -3,32% na comparação real ao ano passado (considerando-se a inflação).

A cidade é responsável por 40,17% do potencial da região, 2,44% a menos do que a participação na estimativa do ano passado. Em relação ao estado, continua ocupando a sexta posição, enquanto no ranking nacional desceu dez colocações, ficando com o 78º lugar entre os maiores potenciais de consumo do país.

Nas categorias de produtos que mais devem ser consumidos o município repete os itens mais cotados da região; assim como quando a análise é feita por classe econômica, onde a “C” dispara à frente das outras, representando 41,44% do total do potencial dos mais de 116 mil domicílios urbanos considerados.

A diferença entre o somatório das áreas rural e urbana é ainda maior do que a média regional: 98,58% do potencial da cidade deve ser gasto no centro urbano, enquanto menos de R$ 124 milhões estão estimados para os espaços rurais.

POTENCIAL DE CONSUMO DE PONTA GROSSA

CATEGORIA DE PRODUTOS

POTENCIAL DE 2018

POTENCIAL DE 2019

Alimentação no domicílio

R$ 896.511.748

R$ 961.866.379

Alimentação fora do domicílio

R$ 348.470.550

R$ 348.436.008

Bebidas

R$ 109.730.791

R$ 116.293.594

Manutenção do lar

R$ 2.136.643.014

R$ 2.218.688.888

Artigos de limpeza

R$ 56.108.662

R$ 60.135.326

Mobiliários e artigos do lar

R$ 163.088.459

R$ 167.598.446

Eletrodomésticos e equipamentos

R$ 170.122.414

R$ 179.538.969

Vestuário confeccionado

R$ 272.887.808

R$ 275.028.381

Calçados

R$ 115.128.671

R$ 114.877.441

Outras despesas com vestuário

R$ 22.227.553

R$ 20.602.001

Transportes urbanos

R$ 131.509.402

R$ 145.092.125

Gastos com veículo próprio

R$ 468.345.963

R$ 472.786.195

Higiene e cuidados pessoais

R$ 154.795.825

R$ 158.607.014

Gastos com medicamentos

R$ 302.892.708

R$ 312.291.221

Outras despesas com saúde

R$ 233.450.722

R$ 223.370.073

Livros e material escolar

R$ 37.715.960

R$ 37.982.059

Matrículas e mensalidades

R$ 104.345.809

R$ 105.274.046

Despesas com recreação e cultura

R$ 121.396.781

R$ 120.170.459

Despesas com viagens

R$ 172.986.975

R$ 167.022.492

Fumo

R$ 34.442.423

R$ 39.169.986

Materiais de construção

R$ 688.783.129

R$ 609.264.795

Outras despesas

R$ 1.816.587.345

R$ 1.742.864.562

Total do consumo urbano

R$ 8.558.172.714

R$ 8.596.960.462

CONSUMO RURAL

R$ 111.791.853

R$ 123.195.595

TOTAL GERAL

R$ 8.669.964.567

R$ 8.720.156.056