no

Região terá novos condomínios para idosos 

O presidente da Companhia Habitacional do Paraná, Jorge Lange, destaca, em entrevista, que dar possibilidade de moradia digna aos paraenses é o objetivo da companhia, conforme determinação do governador Ratinho Junior (PSD). 
Para isso, a Cohapar está investindo em diversos programas, como o Viver Mais Paraná, que prevê a construção de condomínios para idosos, e que beneficiará diversas cidades da região. Uma das principais metas da companhia é, segundo Lange, em 15 anos, acabar com as quase 900 favelas existentes no estado. Além disso, até 2022, a companhia deve construir nove mil casas. Confira a entrevista.

Ações em 2019
"Foi um ano de bastante trabalho. A determinação do governador Ratinho Junior foi para reestruturar a companhia, buscar formas de gerar economia, fazer cortes necessários, analisar os contratos e colocar a casa em ordem, com objetivo da companhia voltar ao seu objetivo original, que é dar possibilidade de moradia digna aos paranaenses. 
A Cohapar tem 12 regionais espalhadas pelo estado, compostas por profissionais experientes que nos ajudaram a fazer toda a reestruturação, atingir economia, melhorar os serviços. Tivemos mais de R$ 13 mi em economia de custeio. Fechamos 2019 com quase R$ 200 mi de obras contratadas e para 2020 teremos novos programas". 

Viver Mais Paraná 
"O programa Viver Mais Paraná  está entre os principais programas e consiste na construção de condomínios para idosos. O programa é destinado a pessoas com mais de 60 anos, sem casa própria, mas que tenham renda suficiente para morar no condomínio e pagar o aluguel social, no valor de 15% do salário mínimo. Eles são construídos em parceria com os Municípios, que viabilizam área urbanizada: a Cohapar constrói os condomínios, que são padrão, com 40 moradias e infraestrutura de segurança, lazer e entretenimento. Há atendimento de enfermagem, horta comunitária, academia, entre outros serviços, para que os moradores tenham uma vida mais confortável. 
Começamos a contratação dos condomínios em cidades com mais de 70 mil habitantes e, em um segundo momento, a partir de 2020, vamos atender municípios a partir de 30 mil habitantes, contando com possibilidade de financiamento externo, com recursos federais para que possamos avançar rapidamente em um quesito que está batendo à nossa porta: a população brasileira está envelhecendo e nós precisamos estar preparados. Já temos 14 municípios selecionados, com contratação de 520 unidades para os idosos do Paraná".

Vida Nova
"Outro programa importante é o Vida Nova. Esta é uma iniciativa do governo do Estado, coordenado pela Sedu [Secretaria de Desenvolvimento Urbano] e Cohapar, com envolvimento de 16 entes do Estado, que participam da montagem do programa, que visa a eliminação de favelas no Paraná, inclusive nas pequenas cidades. Pelo programa, a Cohapar constrói as casas, a Sedu viabiliza infraestrutura, e tem ainda a participação da Sanepar e da Copel, com ligações de água e esgoto, além da recuperação das áreas ocupadas. O intuito do programa, com participação de recursos internacionais já confirmados pelo BID, é de em 15 anos eliminarmos as 864 favelas que existem no Paraná, e onde moram 86,2 mil paranaenses. A gestão do governador Ratinho Junior tem transformado a iniciativa em política pública, para que seja um projeto de Estado e não de governo". 

Habita Paraná 
"Em parceria com uma grande empresa de construção, vamos viabilizar nove mil casas populares até 2022, atendendo a faixa de paranaenses que ganham entre R$ 1,8 mil e R$ 6 mil ao mês. Além disso, temos outras cinco mil casas cadastradas em todas as linhas. Além destas duas linhas de atuação, temos projetos para beneficiar idosos, pessoas de extrema pobreza, além de programa de regularização fundiária".   
 

Números do Viver Mais Paraná 
14 municípios já tiveram projetos autorizados pelo governo e a contratação efetiva depende agora do cumprimento de contrapartidas por parte das prefeituras. São as cidades de Arapongas, Cascavel, Cianorte, Dois Vizinhos, Fazenda Rio Grande, Francisco Beltrão, Guarapuava, Londrina, Maringá, Palmas, Pato Branco, Piraquara, Ponta Grossa e Sarandi.
Além destes, há outros quatro projetos mais adiantados que deverão ser contratados em breve, para os municípios de Cornélio Procópio, Irati, Prudentópolis e Telêmaco Borba. 
Em Foz do Iguaçu e Jaguariaíva, que recebem os projetos-piloto do programa, as obras estão em estágio avançado. 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Motociclista morre após colisão em rodovia de Irati

É correto um gestor estimular a equipe ao desempenho baseado na disputa?