Cidades

Russos estudam colônia de imigrantes em PG

Pela primeira vez, a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) recebe a visita de três pesquisadores, da Universidade de São Petesburgo, na Rússia. O objetivo do grupo é o desenvolvimento de um trabalho na colônia russa dos Campos Gerais, a 20 quilômetros de Ponta Grossa. Para isso, a Pró-Reitoria de Extensão (Proex) está conferindo apoio e colocando pessoal técnico à disposição. “Essa é uma ocasião bastante importante para a nossa universidade, já que há a possibilidade desse intercâmbio de culturas”, avalia o reitor da UEPG, João Carlos Gomes.

Ainda ontem, o primeiro contato entre pesquisadores e colônia foi feito. De acordo com o pesquisador Nicolai Dobronravin, já neste primeiro momento, a equipe pôde perceber algumas semelhanças claras quanto ao costume e a linguagem utilizada, até hoje, no local. “A colônia se assemelha bastante às aldeias russas, as diferenças maiores ficaram na arquitetura, até por conta do clima”, comenta.

Para ele, o primeiro contato já rendeu bom material de pesquisa. “Os moradores dessa colônia ainda se utilizam de palavras e frases bastante antigas. São elementos interessantes que já deixaram de ser utilizados na Rússia, até por causa da americanização”, antecipa.

A pesquisa deve levar cerca de uma semana e termina com uma palestra com o tema “Peculiaridades etno-demográficas e lingüísticas de comunidades dos ‘crentes velhos’ russos no Brasil”. O evento é destinado a alunos de Letras e História e acontece no próximo dia 20 de agosto, às 19 horas, no auditório da Proex. (L.A.)