Saúde

Saiba como evitar gripes e resfriados durante o inverno

Esfriou? Passe longe das alergias e doenças respiratórias com as orientações da alergologista Leilane Hoffmann Nogueira.

A região sul foi atingida por uma massa de ar polar intensa que deve causar temperaturas abaixo de zero neste final de semana em algumas regiões. Em Ponta Grossa, de acordo com o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), as mínimas devem ficar entre -3°C e -2°C neste sábado e domingo. Com a chegada do frio intenso, muitas vezes começam também os primeiros sintomas de gripes e resfriados, além do agravamento de alergias como rinite, asma e sinusite. De acordo com a alergologista, Leilane Hoffmann Nogueira, isto acontece por conta de diversos fatores, como sazonalidade do vírus, ambientes fechados, má higiene e tempo seco.

“Nas estações mais frias, as pessoas costumam passar mais tempo em ambientes fechados, muitas vezes cheios, sem nenhum tipo de ventilação, o que facilita a circulação do vírus nestes locais. Tem também a questão da sazonalidade, pois é uma época em que os vírus estão mais prevalentes, além disso, às vezes uma falta de cuidado com os hábitos de higiene (não lavar as mãos) contribui com o contágio. Por fim, o tempo seco promove uma irritação nas vias respiratórias, portanto, a pessoa que já é alérgica pode ter o quadro piorado”, destaca.

Portanto, para não ter uma piora nos quadros de alergia e evitar gripes e resfriados é necessário tomar uma série de cuidados. Acompanhe as principais dicas e quais medidas devem ser tomadas ao identificar os primeiros sintomas:

 

Antes de mais nada, você sabe a diferença entre gripe e resfriado?

A alergologista Leilane Hoffmann Nogueira explica que os sintomas são muito parecidos e a principal diferença são os vírus causadores. No caso dos resfriados, existem centenas de vírus que podem levar à doença, enquanto a gripe é causada apenas pelo vírus influenza, que é o mais perigoso e pode levar à morte. Por esse motivo, ele é o único que pode ser combatido através da vacinação. “A gripe tem muitos sintomas respiratórios, como coriza, espirro, tosse, dor de garganta e, geralmente, vem acompanhada de febre, mal-estar e dor no corpo. O resfriado também faz todo esse quadro respiratório e, em alguns casos, pode vir acompanhado de febre, mas é um pouco mais leve e, a princípio, não tem a prevenção pela vacina”.

 

Passe longe das doenças e alergias com as dicas da especialista:

 

VACINAÇÃO 

Antes de mais nada, é importante se prevenir anualmente através da vacinação; tanto da gripe, quanto da pneumonia. Muitas pessoas criticam a eficácia, principalmente da vacina contra a gripe, alegando que tomaram e ficaram doentes. No entanto, é importante considerar que ela não previne contra os vírus causadores de resfriados, apenas o vírus influenza, que é o causador da gripe e pode ser fatal.

 

EVITAR LUGARES FECHADOS 

Por conta do frio às vezes é difícil deixar as janelas abertas e manter os ambientes arejados, mas é importante evitar ficar muito tempo em locais fechados com muitas pessoas.

 

LAVAR AS MÃOS E O NARIZ 

A lavagem das mãos é essencial, principalmente quando tiver contato com outras pessoas e objetos ou superfícies compartilhadas. Também é necessário manter a limpeza do nariz em dia, especialmente quem é alérgico, eliminando toda secreção, sujeira, ou até mesmo algum vírus que já esteja ali, mas ainda não se manifestou na forma de doença.

 

HIDRATAÇÃO CONSTANTE

A hidratação é crucial em todas as épocas do ano e se torna ainda mais importante com o tempo seco. No frio, muitas vezes as pessoas não sentem vontade de tomar água ou acham que não tem tanta necessidade, mas o ideal é criar o hábito de ingerir mais de 2 litros diariamente. Isso é ainda mais eficiente do que usar umidificadores de ar e panos úmidos pela casa.

 

CUIDE DE SUA IMUNIDADE

Não há nenhum remédio mágico para aumentar a imunidade. Existem estudos que falam da questão da vitamina C, mas a medida mais eficaz para manter o bom funcionamento do organismo e fortalece-lo contra as doenças é manter uma alimentação balanceada, atividades físicas e hidratação adequada. 

 

DICA EXTRA: CUIDADOS COM OS ÁCAROS!

É muito comum nessa época do ano as pessoas começarem a tirar cobertores e casacos do armário. Leilane ressalta que o maior erro está em começar a utilizar sem fazer uma higienização prévia. “Por conta do acúmulo de ácaros, é preciso lavar e deixar secar no sol (se possível) tudo o que ficou guardado no armário durante muito tempo”. Para os alérgicos, a médica sugere ainda optar pelos edredons e evitar cobertores. “A coberta possui pelinhos e pode juntar ainda mais ácaro. Quem tem animais domésticos, também é indicado evitar que eles fiquem no quarto e durmam junto, pelo menos durante o frio”. 

 

Fiquei doente, e agora?

Limpeza – Uma das primeiras medidas é fazer a lavagem do nariz, destaca Leilane. “A forma que sempre oriento é que o soro entre em forma de pressão. Às vezes um soro que é só uma gotinha vai hidratar o nariz, mas não vai lavar. Então é indicado usar um soro com seringa ou em forma de jato contínuo. Eventualmente, em alguns casos, dá para usar o spray e o de gotas, mas o ideal é que o soro entre sempre com pressão no nariz. Quanto mais puder usar, melhor”. A especialista destaca que a limpeza é recomendada diariamente.

Ajuda profissional – tão importante quanto a limpeza correta das vias respiratórias, é buscar ajuda de um profissional. “Em hipótese alguma a pessoa deve se automedicar. É importante consultar um especialista para saber exatamente qual o problema e a melhor forma de tratamento”.

 

Como evitar contágio?

Após passar pela avaliação médica para identificar se é um resfriado comum, uma gripe ou alguma alergia, o paciente será instruído a repousar ou não, de acordo com seu quadro. “Se for rinite não é contagioso, não tem indicação para ficar em casa, mas for um quadro gripal ou um resfriado, eventualmente pode ser que a pessoa precise ficar em casa para não contagiar colegas de trabalho ou de estudo. Às vezes é difícil parar com as atividades, então nesse caso o ideal é evitar contato direto com outras pessoas, não dividir objetos e lavar sempre as mãos”.

 

 

Alimentos que ajudam a aumentar a imunidade

Alguns alimentos contribuem com nutrientes e compostos ativos que turbinam a imunidade e agem contra diversas doenças. A nutricionista Mariana Chiossi Tsuneto lista alguns e ensina uma receita especial, confira:

– Repolho

– Alho

– Amêndoas

– Batata doce

– Shitake

– Orégano

– Erva Dente de Leão

– Frutas cítricas

 

SOPA DA IMUNIDADE:

 

Ingredientes:

- 1 xíc. de brócolis

- 1 xíc. de couve flor

- suco de 1 limão

- 1 col. chá de açafrão da terra

- 1 dente de alho

- 100g de shitake

- pimenta-do-reino a gosto

- ervas aromáticas a gosto (salsa, cebolinha, manjericão, orégano)

- sal rosa a gosto

- 1 litro de água

- 2 colheres de sopa de semente de linhaça

Coloque a água e o alho em uma panela, ferva a água e adicione o brócolis e a couve flor. Cozinhe até amolecer as flores e bata tudo no liquidificador até ficar como um creme. Refogue o shitake no azeite e misture ao creme. Depois de pronto, acrescente a pimenta-do-reino, sal rosa, limão, ervas e a semente de linhaça. Tempere com um fio de azeite e pronto! Esta é uma ótima escolha tanto para o almoço, quanto para o jantar.

 

 

LEILANE HOFFMANN NOGUEIRA é Alergologista e Imunologista pela Universidade de São Paulo - Campus Ribeirão Preto (USP-RP), Médica pela Faculdade Evangélica do Paraná. Possui residência em Clínica Médica pelo Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais (UEPG) e residência em Alergia e Imunologia pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP- USP), além de título de especialista em Alergia e Imunologia pela Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI). É mestranda em clínica médica pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP- USP).