Saúde

Saúde alerta para baixa procura pela vacina contra H1N1

(Foto: Fábio Matavelli)

A terceira etapa da campanha de vacinação contra a gripe H1N1 segue até 5 de junho, direcionada à imunização de professores de escolas públicas e privadas e adultos de 55 a 59 anos, além de crianças, gestantes e puérperas. A baixa procura pela imunização, porém, tem deixado um alerta para que as pessoas busquem pela vacina, principalmente, neste período de pandemia da covid-19.

“Até o momento, tivemos uma boa campanha onde os idosos, caminhoneiros e profissionais de saúde aderiram massivamente. No entanto, estamos com baixa procura de gestantes e crianças”, disse o médico Rodrigo Manjabosco, secretário adjunto da Fundação Municipal de Saúde de Ponta Grossa.

Da meta em vacinar 26.816 crianças, somente 11.138 foram imunizadas. Cerca de 4 mil gestantes também devem ser imunizadas na cidade, mas apenas 1.344 haviam tomado a vacina até a tarde da última segunda-feira (25). “Precisamos que as gestantes tomem a vacina, pois da H1N1 traz complicações para a gravidez. A mesma atenção vale para as crianças que ainda não foram imunizadas”, apontou o secretário.

Ainda nesta semana, a Secretaria da Saúde do Paraná (Sesa) reafirmou a importância de os municípios notificarem a cobertura vacinal contra a gripe e o atendimento ao público-alvo. Desde o início da Campanha Nacional de Vacinação contra a influenza, a Secretaria da Saúde distribuiu mais de 4 milhões de doses aos 399 municípios do estado.

“Neste momento crítico com a pandemia da covid-19 é fundamental que a público-alvo esteja protegido, principalmente, em relação às doenças que podem ser evitadas com a vacina, como é o caso da gripe”, alerta o secretário da Saúde, Beto Preto.

Imunização

Segundo a Sesa, a vacina contra a influenza é segura e recomendada. Como a gripe e a covid-19 têm sintomas iniciais semelhantes, a antecipação da campanha neste ano teve o objetivo de conter a carga de circulação dos vírus da influenza, reduzindo as complicações respiratórias, internações e a mortalidade decorrentes de infecções. Ponta Grossa conta com 20 salas de vacina distribuídas nas unidades básicas de saúde da cidade.