Saúde

Saúde capacita 2 mil profissionais para a Atenção Materno Infantil

Nesta quarta-feira o encontro acontece em Ibiporã. Já foi realizado em Cascavel e será levado a Maringá e Curitiba. Objetivo é que equipe atue de forma integrada em situações que possam impactar a mortalidade materna e de bebês.
(Foto: Divulgação/SESA)

O olhar profissional voltado para o cuidado da gestante e do bebê, com toda a equipe falando a mesma linguagem, aplicando o protocolo da linha guia de atenção e devidamente qualificada para o enfrentamento de intercorrências no período da gravidez, parto e pós-parto. Este é o objetivo da capacitação que a Secretaria da Saúde do Paraná desenvolve junto a aproximadamente 2 mil profissionais que atuam em todas as regiões do Estado.

Nesta quarta-feira (06), mais de 400 profissionais participam do encontro em Ibiporã, na macrorregião Norte do Paraná. Na semana passada, foi em Cascavel e, posteriormente, chegará às macrorregiões de Maringá, no dia ‪22 de novembro, e Curitiba, no dia ‪6 de dezembro.

“Nosso objetivo é que toda equipe atue de forma integrada e articulada diante de situações que possam impactar a mortalidade materna e de bebês”, afirmou o secretário da Saúde, Beto Preto. “Esta é uma das prioridades da gestão e neste caminho temos grandes desafios, como a redução do número de cesáreas, de partos prematuros e das desigualdades socioeconômicas. Por isso a capacitação abrange profissionais de todo o estado”, disse ele.

A capacitação é uma das ações que o Paraná realiza para o enfrentamento da mortalidade materna, infantil e fetal. “A partir desta capacitação, vamos organizar processo de educação permanente para qualificação dos cuidados às mulheres grávidas e a seus bebês, utilizando metodologias ativas, baseadas na discussão de casos e imersão no conteúdo”, complementa a diretora de Atenção à Vigilância em Saúde, Maria Goretti David Lopes.

FOCO - Um dos focos do trabalho da Secretaria da Saúde busca a redução da Razão de Mortalidade Materna (RMM). A RMM é o indicador mais utilizado no mundo: registra o número de mortes maternas na gestação e até 42 dias após o parto e faz a relação proporcional com 100 mil bebês nascidos vivos.

“O Paraná registra hoje 45,7 óbitos maternos para cada 100 mil nascidos vivos. É um número preocupante, estamos em alerta para o fortalecimento dos serviços oferecidos, eliminação das lacunas ao acesso, sensibilização das equipes, disponibilidade de medicamentos essenciais e sangue” complementa a coordenadora de Vigilância Epidemiológica Acácia Nasr.

No ano passado, a Razão de Mortalidade Materna no Paraná ficou em 50,0/100 mil nascidos vivos. No ano de 2015, esta taxa chegou a 51,6. “A redução que apresentamos até este momento parece pequena, mas é uma grande conquista quando tratamos de vida”, ressalta Acácia Nasr.

EVENTO - A capacitação acontece no Teatro Padre Jose Zanelli, em Ibiporã. Durante todo o dia serão ministradas aulas e palestras sobre os cuidados e atenção à gestante, além de apresentação de experiências exitosas na área, desenvolvidas pelos municípios. O evento tem apoio da Prefeitura Municipal de Ibiporã.

A abertura teve a participação da diretora da Secretaria da Saúde, Maria Goretti David Lopes; do prefeito de Ibiporã, João Toledo Cogliese; do representante do Conselho de Secretários Municipais do Paraná e secretário de saúde de Ibiporã, Paulo Zaparolli, e diretores das Regionais de Saúde de Apucarana, Cornélio Procópio, Jacarezinho, Ivaiporã e Londrina.