Geral

Sebrae premia iniciativas de educação empreendedora

Professores, instituições de ensino e municípios que apresentaram as iniciativas mais expressivas na área da Educação Empreendedora em diferentes regiões do Estado foram reconhecidos pelo Sebrae/PR na última sexta-feira (27), em Curitiba. Em sua segunda edição, o Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora teve como objetivo identificar, estimular e difundir as melhores práticas e resultados em educação empreendedora no Paraná. Ao todo, foram 300 inscritos.

O diretor-superintendente do Sebrae/PR, Vitor Tioqueta, comemorou os resultados e lembrou a exigência atual e, principalmente, futura, do mercado de trabalho por pessoas empreendedoras e com competências múltiplas. “Uma recente pesquisa da Consultoria McKinsey & Company apontou que, para cada posto de trabalho eliminado, 2,4 novos serão criados. Porém, ocuparão esses cargos somente aqueles que souberem atuar na resolução de problemas, com criatividade, interação interpessoal e pensamento crítico”, apontou.

Além disso, Tioqueta destacou que, somente em 2017, 146.284 alunos foram impactados pelo Programa de Educação Empreendedora nas redes pública e privada do Paraná, do Ensino Fundamental à universidade.

O diretor de Operações do Sebrae/PR, Julio Cezar Agostini, destacou a atuação na área educacional. “Está na missão do Sebrae o fomento à educação empreendedora. Um legado que queremos deixar para o futuro do Paraná e do País. Nem todos os estudantes se tornarão empreendedores, mas estarão preparados para agir com atitudes empreendedoras e protagonismo em suas áreas de atividade e na sociedade”, avaliou.

Antes da premiação, o professor português José Pacheco ministrou a palestra “Os Desafios da Educação para o Século XXI”. Idealizador da metodologia da Escola da Ponte, em Portugal, reconhecida mundialmente pela inovação no seu método de ensino, Pacheco instigou a repensar a forma de ensinar das escolas. “Escolas não são edifícios, são pessoas. É preciso transformar o saber em ações, ou seja, é necessária uma nova forma de ensinar que prepare o aluno para a 4ª revolução industrial, pela qual já estamos passando. E o Programa de Educação Empreendedora do Sebrae/PR já está fazendo isso”, disse.

Premiação e vencedores

A cerimônia de premiação reuniu prefeitos, secretários da área de Educação, gestores e professores que receberam troféus e certificados como reconhecimento pela parceria e engajamento dentro do Programa Educação Empreendedora.

Foram premiadas quatro instituições na etapa estadual, dos 24 finalistas regionais das categorias Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II, Ensino Médio e Ensino Superior. Além disso, receberam troféu e certificado 38 municípios paranaenses que implantaram o Programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEEP) em 100% das suas escolas de Ensino Fundamental.

Na categoria Ensino Fundamental I, a Escola Municipal Maestro Andrea Nuzzi, de Londrina, foi escolhida por um projeto focado no empreender social, pensado para minimizar a dor dos adultos e idosos internados em um hospital público, próximo da escola. Os alunos produziram cookies, criaram jogos que estimulassem a coordenação motora, memória e pensamento lógico, reproduziram obras de artes, com mensagem de conforto para enfeitar o local e ilustraram com poesias e crônicas para momentos de leitura, tudo isso entregue em um “Café da Tarde dos Acompanhantes”. “Foi um trabalho feito além da escola, que envolveu a família e a comunidade. O projeto veio para mostrar que podemos empreender em qualquer situação”, avaliaram as professoras Maria do Carmo Cardoso Bezerra e Patrícia Mendonça Carvalho.

 

O vencedor estadual da categoria Ensino Fundamental II foi o Colégio Militar de Curitiba, com o projeto “Graxinha”, de alunos do 9º ano. Os alunos identificaram a necessidade de manterem seus coturnos lustrados e, para concretizar a prestação de serviços de engraxataria, planejaram cada passo, criaram panfletos e vídeos para divulgação e participaram da Feira do colégio. “Eles se sentiram protagonistas de suas ações, com autonomia para a tomada de decisões. O projeto do Sebrae veio ao encontro da nossa proposta pedagógica, que desperta o aluno para além da sala de aula, para a vida, para se tornar útil e vencer desafios”, relatou o coronel Sérgio Mesquita dos Santos, diretor da instituição de ensino.

 

Uma exposição científica anual realizada pelo Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) Maria Lydia Cescato Bomtempo, de Assaí, norte do Estado, rendeu à instituição o prêmio na categoria Ensino Médio. O coordenador do curso técnico em Eletroeletrônica, Paulo Italo Stachuk, destacou que o prêmio serve de incentivo para continuação desse trabalho. “A premiação é fundamental para continuar incentivando a criatividade e o empreendedorismo dos estudantes e o envolvimento da comunidade no cotidiano da escolar”, disse Stachuck.

 

Na categoria Instituição de Ensino Superior (IES), a vencedora foi a Pontifícia Universidade Católica (PUC) campus Curitiba, pela transformação realizada em sua proposta pedagógica, a qual possibilita ainda mais ao estudante vivenciar a educação empreendedora. Em 2017, atendeu mais de 3.500 alunos em projetos de empreendedorismo por meio da Agência PUC de Inovação, Aceleradoras, Núcleos de Empreendedorismo, eventos, disciplinas relacionadas ao tema nos cursos de graduação e pós-graduação. “A PUC vem há alguns anos criando um DNA empreendedor, e o Sebrae foi um grande catalisador, que veio com as grandes referências mundiais em empreendedorismo”, comentou o coordenador do Centro de Empreendedorismo e Inovação, Paulo Cesar Porto Martins.

 

Os vencedores ganharam o direito de participar de uma missão técnica em Minas Gerais, onde conhecerão experiências de sucesso em educação empreendedora na Escola Sebrae de Formação Gerencial, no centro de referência de empreendedorismo do Sebrae, naquele estado, e também no Instituto Inhotim, um dos mais relevantes acervos de arte contemporânea do mundo.

Crédito imagens: Régis Santos