Cidades

Secretaria Municipal de Educação está entregando kits contendo produtos da merenda escolar em apoio a famílias

(Foto: Divulgação)

Todas as Escolas Municipais e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) de Ponta Grossa iniciaram nesta segunda-feira a entrega de kits de alimentação para os alunos de famílias inscritas no Programa Bolsa Família e/ou em situação de vulnerabilidade social. A medida foi tomada pela Prefeitura para garantir que as crianças tenham acesso garantido à alimentação mesmo durante a paralisação das atividades em combate ao espalhamento do Coronavírus em Ponta Grossa.

Em uma estimativa inicial, devem ser entregues pelo menos oito mil kits de alimentação, montados a partir dos produtos da merenda escolar em estoque em cada unidade educacional mantida pelo Município. Estão sendo entregues perecíveis e não-perecíveis, conforme a disponibilidade de cada local, seguindo as informações contidas nos cadastros escolares. O consumo equivale a aproximadamente 40 dias por aluno.

Para que toda a entrega ocorresse de maneira organizada e sem a aglomeração de pessoas, todas as diretoras entraram em contato com cada uma das famílias e agendaram os horários de retirada. "Todas as equipes dos CMEIs e Escolas fizeram um grande trabalho de solidariedade, primeiro na montagem dos kits, seguindo as orientações da Secretaria de Educação, e agora na entrega. Foi um trabalho feito individualmente com cada uma das famílias, com a organização e a segurança necessárias a todos, com muita inteligência e conhecimento", disse a diretora do Departamento de Educação, Simone Neves.

Para Kethlyn dos Santos, mãe de uma aluna no CMEI Isaak Alfred Schilklapper, no Jardim Amália, o kit é muito bem-vindo. "Vai fazer bastante diferença", disse a mãe. Para a diretora da unidade, professora Francielle Martins Kreniski, o apoio oferecido pelo CMEI é muito importante, especialmente por se tratar de uma comunidade carente. "Temos uma parceria com esta comunidade, ajudamos e somos ajudados, sempre. Quando nós ligamos para contar sobre a entrega, vimos que eles ficaram bem felizes e bem satisfeitos. É uma alegria poder ajudá-los nessa hora", disse a diretora.

Francielle também lamenta a ausência das crianças, mas entende que é para o bem de todas as famílias. "Ficar aqui no CMEI, em silêncio, é bem triste, mas sabemos que isso vai melhorar em breve. Pedimos para as famílias que elas fiquem em casa neste momento, cuidando da saúde, da alimentação e cuidando das crianças, para que logo possamos voltar a nos ver", afirma ela.

A secretária de Educação, professora Esméria Saveli, parabenizou todas as funcionárias das unidades e da SME que participaram da ação. "Demonstramos assim que o espaço da escola existe para além da sua função principal, que é promover o aprendizado dos alunos. A escola forte, como é hoje, é um fator de agregação social, que apoia a educação da sociedade em todos os sentidos", acredita a secretária.

Decisão

A decisão também considera a recomendação do Ministério Público para que o fornecimento da alimentação às crianças não fosse paralisado pelos municípios paranaenses durante a situação de calamidade. Em um primeiro momento, a possibilidade de manter o serviço diário de alimentação para as crianças foi descartada pelo Município, por não ser condizente com a determinação de suspensão das aulas para evitar a aglomeração de pessoas. Sob orientação do prefeito municipal, foi adotado o procedimento de levantamento dos dados a respeito dos alunos em situação vulnerável para a distribuição dos alimentos e também a organização de todos os procedimentos necessários para a efetivação das entregas.