Economia

“Tecnologia viabiliza incremento na produtividade”, afirma Frísia

Evento em Carambeí debate transformação digital no agronegócio na próxima semana

Na próxima semana, de terça (11) a quinta-feira (13), o Paraná será o centro das inovações tecnológicas no agronegócio através da realização da 3ª Digital Agro, feira que deve debater as principais tendências e impactos da aplicação de tecnologias na produção agropecuária. Além de palestras com especialistas nacionais e estrangeiros, atividades práticas e exposições, o evento também sediará dois importantes fóruns voltados às demandas de inovação e relações comerciais do setor.

Em entrevista ao jornal Diário dos Campos o gerente de negócios da Frísia, Mário Dykstra, afirmou que a cooperativa trabalha junto a órgãos parceiros para sempre atualizar seu radar de inovação. “Os produtores que utilizam tecnologias percebem um incremento na produtividade e redução de custos. Essas novas ferramentas também trazem consequências positivas para a sustentabilidade e cuidados com o meio ambiente”, avaliou Dykstra.

O gerente também é um dos organizadores da Digital Agro, e contou que o evento tem como foco quatro temáticas. “A smartfarming, ‘fazenda 4.0’, é trabalhada sempre porque a tecnologia ofertada e a mentalidade do produtor estão em constante evolução. A ‘internet das coisas’ conecta as fazendas inteligentes com aspectos como rastreabilidade, telemetria e ‘blockchain’”, citou o representante da cooperativa, referindo-se, por último, às tecnologias de registro distribuído que visam a descentralização como medida de segurança.

Também entre os focos da feira estão, segundo o organizador, a sustentabilidade – os impactos que a transformação digital causa no agronegócio – e a transformação digital, que conecta os outros temas refletindo sobre as plataformas digitais. “Alguns perfis de cooperados ainda têm dificuldade em absorver a tecnologia, mas esse é um caminho de ida sem volta, que só gera benefícios”, apontou Dykstra.

Para ele, a maior diferença entre a implantação da tecnologia no cotidiano urbano e rural é a conectividade.“Estudos comentam que hoje apenas de 7 a 15% das propriedades rurais têm uma conectividade que permite a adesão de ferramentas digitais, enquanto no meio urbano esse problema já está superado. No momento em que tivermos conexão de qualidade nesses locais isso vai favorecer a adesão dos produtores às novas ferramentas”, analisou o gerente de negócios da Frísia.

Três eventos

Na 3ª Digital Agro, além da própria feira, serão realizados outros dois eventos conectados pela temática. No primeiro dia (11), pela manhã, será realizado o 1º Fórum de Inovação Regional de Inovação Agropecuária promovido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Essa é a primeira vez que o encontro será realizado no país, com o objetivo de compor pautas para a produção de um fórum nacional que acontecerá no próximo ano.

No período da tarde acontece o Fórum Comercial, que com os palestrantes Ricardo Amorim e André Pessôa tratará do cenário econômico em geral e específico sobre a produção de soja e milho.

A abertura da Digital Agro ocorre durante a noite e nos próximos dois dias seguintes (12 e 13) a programação da feira conta com dez paineis temáticos, dezesseis palestras técnicas, atividades práticas e participação de startups e mais de quarenta empresas expositoras. A feira tem acesso livre e gratuito, mas o cadastro deve ser feito antecipadamente pelo site; já para as demais atividades há pacotes diferenciados disponíveis para compra.