Esportes

Timão treina finalizações e ajustes para o duelo contra o Inter

Na manhã desta sexta-feira (15), o Corinthians realizou o penúltimo treino preparativo para o duelo deste domingo (17), às 18h, na Arena Corinthians, contra o Internacional.

Após intenso aquecimento com o preparador físico Anselmo Sbragia, os atletas foram ao Campo 4 (Cláudio Christovam de Pinho) do CT Dr. Joaquim Grava para uma atividade de movimentação e finalização preparada pelo técnico interino Dyego Coelho. Depois, já no Campo 2 (José Ferreira Neto), o treinador fez um treinamento tático mais voltado para o confronto diante do Inter.

O lateral-direito Michel e o meia Régis não participaram das atividades do dia. Eles se recuperam de dores na coxa e uma pancada na canela, respectivamente.

Após o treino, o lateral direito Fagner atendeu a imprensa, no CT Dr. Joaquim Grava.Pra começar, o camisa 23 deixou suas impressões sobre o trabalho desenvolvido pelo técnico Dyego Coelho, interinamente, no comando da equipe. “Acompanhei esses últimos jogos de fora e você vê coisas diferentes: a forma de sair, a composição de meio, até para dar mais bolas a quem está na frente. Dentro do campo, nesta semana, observei mais a estrutura que ele gosta, as opções, agora é colocar em prática. A semana foi importante para aprimorarmos essas ideias e para, a cada jogo, ele (Coelho) ir implementando essas mudanças", disse Fagner.

O lateral direito também lembrou da convivência com Coelho em 2006, quando estreou pelo Timão. "Lembro que quando eu subi, na segunda semana de treinos, ele começou a bater faltas comigo. Depois que ele fez uma porrada de gols, eu desisti (risos). Foi um jogador excelente, com qualidade pra bater na bola. Pode acrescentar coisas para mim e para outros laterais. Feliz por ele estar em outra função e torço para ele ter o sucesso que merece", comentou o camisa 23 alvinegro.

Fagner também avaliou sua temporada e o novo momento da equipe no Brasileirão. "Nos momentos em que fui convocado (para a Seleção), que estive bem, enalteci os companheiros. No futebol não se consegue nada sozinho. Com um time bem, o individual aparece. Neste ano a gente oscilou, eu e outros jogadores, faz parte do futebol. Dei uma caída, mas agora é melhorar, trabalhar para terminar o campeonato bem e na posição que precisa estar", disse. "Vejo um time mais com a bola, que se propõe a arriscar. Mesmo no primeiro tempo contra o Palmeiras, correu riscos, tentou fazer gols. Ficamos felizes com a evolução da equipe e com semanas de treino isso tende a melhorar", completou.

O lateral projetou, ainda, a chegada do novo treinador, Tiago Nunes, para a temporada 2020. “É um treinador que gosta de ter a bola, gosta de jogar, faz o time ter a posse da bola, que é vertical, que busca sempre o gol. Vamos conhecer mais à fundo na pré-temporada, espero que ele passe tudo o que tem de bom para a gente fazer um grande ano", avaliou Fagner.

Por fim, o camisa 23 falou de sua relação com o clube do Parque São Jorge. “O DNA do Corinthians é vontade e entrega, isso a gente está tentando resgatar, sem perder o que a gente pode melhorar: a parte do jogo, ser agressivo, sufocar mais. Isso estamos tentando melhorar, para que nos próximos anos esse estilo de jogo mude um pouquinho. Quando parar, quero ver que tudo o que fiz no clube que me revelou valeu a pena", garantiu Fagner.