Economia

Trabalhadores de PG devem receber R$ 246,7 milhões em 13º salário

Metade deste valor será distribuída até este sábado

Finaliza neste sábado (30) o prazo para o pagamento da primeira parcela da gratificação de Natal, remuneração instaurada por lei na década de 60 e popularmente conhecida como 13º salário; a segunda e última deve ser paga até o dia 20 de dezembro. Uma estimativa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socieconômicos (Dieese) aponta que o mercado formal de Ponta Grossa deverá totalizar R$ 246,75 milhões em 13º, quinto maior montante entre os municípios do Paraná.

O estudo, feito nos quarenta maiores municípios do estado, aponta que devem ser injetados aproximadamente R$ 7,6 bilhões na economia das principais cidades paranaenses. Cerca de 2,4 milhões de trabalhadores com carteira assinada serão beneficiados com um rendimento adicional, em média, de R$ 3.232,86 – em Ponta Grossa a média é um pouco mais baixa, equivalente a R$ 2.780,16, calculada para 88.756 trabalhadores formais.

“Analisando as cidades abrangidas no estudo, notamos a concentração dos valores a serem injetados na economia paranaense em poucos municípios, sendo que apenas três dos quarenta, Curitiba (39,9%), Londrina (5,2%) e Maringá (4,8%) respondem por praticamente 50% do total. O maior valor médio para o 13° deve ser pago em Curitiba (R$ 4.098,50) e o menor, em Prudentópolis (R$ 1.984,98)”, destaca o Dieese.

Usos

Segundo sondagem da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR) realizada em todo o estado, a principal destinação desse dinheiro será para quitar dívidas: 29,3% dos paranaenses utilizarão o abono anual para saldar seus débitos. Essa parcela é menor do que no ano passado, quando 33,3% dos entrevistados afirmaram que utilizariam o valor para pagar dívidas.

Outra parte considerável de paranaenses, 23,7%, planeja utilizar o 13º salário para fazer uma reserva financeira ou investimento, percentual superior a 2018, quando 21,6% pretendiam economizar. A compra de presentes deve ficar em terceiro plano: 14,7% dos paranaenses vão gastar a remuneração adicional para essa finalidade. No ano passado, 16,2% dos trabalhadores pretendiam gastar o dinheiro em presentes.

Há aqueles que vão aproveitar o 13º para viajar. Essa foi a resposta de 13,7% dos entrevistados, ante 17,8% no ano passado. Por fim, outros 5,7% afirmam que vão utilizar a gratificação de fim de ano para o pagamento de impostos e taxas. Os que não sabem ou não responderam somam 14,3% e os que não estão empregados e, portanto, não terão direito ao 13º salário, correspondem a 10,7% dos entrevistados.

“Verifica-se que os paranaenses estão buscando deixar sua vida financeira em dia, quitando dívidas e se precavendo de situações adversas como a perda do emprego ou piora no cenário econômico brasileiro”, ressalta a Fecomércio.

 

13º do mercado formal na região

Ponta Grossa: Total: R$ 246,75 milhões| Rendimento médio: R$ 2.780,16

Telêmaco Borba: Total: R$ 61,75 milhões | Rendimento médio: R$ 3.015,34

Castro: Total: R$ 43,83 milhões | Rendimento médio: 2.407,98

Irati: Total: R$ 25,72 milhões | Rendimento médio: R$ 2.146,19

Prudentópolis: Total: R$ 14,23 milhões | Rendimento médio: R$ 1.984,98

*Os dados são do estudo do Dieese que estimou os valores pagos aos trabalhadores com carteira assinada dos quarenta maiores municípios do Paraná