no

Três bairros se destacam na evolução imobiliária de Ponta Grossa

Após anos de intensa crise financeira a economia brasileira começa a dar sinais de recuperação – e, em Ponta Grossa, um dos setores que mais têm tido aceleração no crescimento é o mercado imobiliário. De acordo com dados do Sindicato de Habitação e Condomínios (Secovi) repassados à reportagem do Diário dos Campos pelo seu representante regional, Carlos Roberto Tavarnaro, no ano passado a oferta de imóveis à venda cresceu 10,3% na cidade, enquanto que a locação registrou um aumento de 3,9% – ambos comparados a 2018.

Quanto aos preços, os maiores incrementos foram verificados nas unidades comerciais: os valores das vendas subiram 7,4% e os das locações 7,18%. Já nas residenciais, as variações foram menores do que a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Enquanto que o IPCA fechou 2019 em 4,31%, os imóveis residenciais à venda tiveram um aumento de 3,4% e os para locação de 1,8%.

De acordo com o presidente do Sindicato de Habitação, são três os bairros que mais tiveram desenvolvimento nos últimos anos: Uvaranas, Contorno e Jardim Carvalho. “Uvaranas sempre vai ter devido à universidade, hospital regional, ligação com o Contorno, na UTFPR e preço. Contorno e Jardim Carvalho serão as que mais receberão investimentos porque enquanto o primeiro não tem limite de área, diferente de Uvaranas que vai até a UEPG e finda, e o segundo se tornou um bairro muito acessível, engolido pelo centro”, detalha Tavarnaro.

“De loteamentos houve um fenômeno na Siqueira Campos, contorno leste da cidade. Foram chácaras e mais chácaras com preço lá embaixo, o que viabilizou muitos investimentos. Mais de 50% dessa oferta está concentrada nessa região”, lembra ele.

Conforme afirma o diretor da Torre Blanca, Alexandre Devicchi, o preço dos imóveis varia de uma região a outra. “A variação é de em torno de 5%, abrangendo tanto locação quanto venda, variando conforme o bairro, além de situações ímpares como tamanho, idade construtiva e estado de conservação”, exemplifica.

Migrantes têm crescido entre compradores

Entre os perfis de compradores, segundo o presidente do Secovi, tem sido verificado um aumento na classe B (média/média alta). “Executivo, engenheiros e profissionais liberais vêm de outras cidades e encontram em Ponta Grossa uma qualidade de vida que não se encontra em grandes centros, principalmente quando há crianças; é o segmento que mais cresce na cidade. Inicialmente alugam imóveis, o que contribui para rentabilizar os investimentos, e a partir do segundo ano fixam residência adquirindo unidades”, diz Tavarnaro, lembrando que o público do Minha Casa, Minha Vida é uma faixa cativa de consumidores que se retroalimenta constantemente.

“Ponta Grossa vem recebendo muitos investimentos nos últimos anos, o que tem contribuído para o aumento da renda per capita, e tem sido procurada por novas empresas, além de receber vários investimentos do poder público”, completa  Alexandre Devicchi, diretor da Torre Blanca.

 

Este é um trecho da reportagem sobre o desempenho do mercado imobiliário de Ponta Grossa. Confira o material completo, publicado pelo DC neste sábado (18).

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

Fantasma larga com vitória no Campeonato Paranaense 2020

Gente que trabalha